Fábrica mineira da Mercedes-Benz terá investimentos de 200 milhões de euros

Com nova planta em Juiz de Fora, montadora quer a liderança no mercado brasileiro e consolidação a longo prazo; unidade produzirá os modelos Accelo e Actros

MAN e Sinotruk criam nova marca de caminhões: a Sitrak
Para a ZF, futuro das transmissões é “automágico”
Caminhão que transporta carga a granel sem lona de proteção será multado

Visando fortalecer a participação no segmento de veículos pesados, a montadora Mercedes-Benz está viabilizando o projeto de remodelar a unidade fabril de Juiz de Fora (MG) para possibilitar a produção de caminhões na instalação. Com isso, será a primeira vez na história da multinacional que uma fábrica de automóveis é modificada para produzir apenas caminhões. Serão investidos € 200 milhões na planta, que produzirá 15 mil unidades por ano.

Para sustentar esta demanda, a empresa anunciou recentemente o nome de três fornecedores para trabalhar em conjunto na produção local: a Maxion, montadora de chassis; a Randon, fabricante de implementos que fornecerá kits periféricos do motor; e a Seeber, que entregará peças feitas de plástico.

A Mercedes pretende com esta estratégia produzir dois modelos de caminhão em Minas Gerais: o Accelo, caminhão leve que atualmente é montado na unidade de São Bernardo do Campo (SP), e o Actros, pesado importado da Alemanha.

Atualmente, a Mercedes-Benz do ABC Paulista tem capacidade de montar 65 mil unidades por ano, sendo possível expandir a produção em, no máximo, mais 10 mil unidades.

Já estão em treinamento em Wöerth, na Alemanha, 49 funcionários de Juiz de Fora. Esses colaboradores repassarão as informações sobre como serão montados os dois caminhões aos outros 800 trabalhadores da unidade mineira.

No início, a nacionalização da montagem será de 44%. Até 2014, a empresa estima alcançar a marca de 60%.

Com informações da Folha de S. Paulo

COMMENTS