Scania retoma produção de semipesados

Scania retoma produção de semipesados

Montadora sueca já iniciou a fabricação de dois novos modelos deste segmento que havia abandonado há uma década. Modelos têm motorização de 9 litros

PPW apresenta sistema automatizado de portas
Grupo Convicta amplia frota de betoneiras com a compra de 20 Tector 6×4 da Iveco
Nova tolerância de 10% por eixo só vale para quem respeitar o limite de 5% do PBT

A Scania volta a ampliar seu portfólio de produtos e coloca nas ruas novos caminhões semipesados como uma medida para reforçar a mudança de posicionamento estratégico. A meta é vender pelo menos mil unidades de dois modelos diferentes neste segmento nos próximos 12 meses. Até o momento, a empresa já faturou 55 caminhões e contabiliza 300 encomendas, que vão ocupar a fábrica da empresa, localizada em São Bernardo do Campo (SP) até agosto.

De acordo com o diretor geral de vendas e serviços da montadora, Roberto Leoncini, a empresa viu no retorno desse segmento para a Scania a oportunidade de seguir crescendo no ritmo da expansão das vendas no Brasil. Além disso, está relacionada à mudança de foco da companhia sueca, que quer se posicionar como uma provedora de soluções integradas ao cliente. Essa filosofia da empresa está sendo implementada em todo mundo e como há a sinergia entre o processo de fabricação dos pesados e semipesados em função do baixo índice de modificações para a produção dos modelos para este segmento, a decisão pela retomada foi fácil. O difícil, disse ele, foi executar a lição de casa e treinar toda a rede para atender ao cliente com a qualidade que a empresa exige para uma correta análise das necessidades do cliente.

Essa retomada, que mais parece a entrada no negócio de semipesados, ocorre em um momento oportuno, pois o mercado brasileiro de caminhões começa a entrar no foco de montadoras chinesas como a Sinotruck e a Shacman em pesados e, mais recentemente, da Fotton, a maior montadora daquele país, que por aqui iniciará sua operação por meio de veículos leves e semileves.

Segundo os dados mais recentes da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o segmento de semipesados teve, no primeiro trimestre, vendas de 23,44 mil unidades. Esse número representa um crescimento de 31% quando comparado ao mesmo período do ano passado. É neste segmento que está também o maior ritmo de crescimento entre todos os segmentos de caminhões.

Na avaliação de Leoncini, esse crescimento está relacionado à renovação da frota brasileira, que neste segmento tem a maior idade média e também à ampliação do número de veículos nas estradas brasileiras com o crescimento da economia brasileira. Esse cenário, disse ele, deve levar o mercado brasileiro a cerca de 200 mil veículos, número capaz de atrair a atenção de uma importante parcela de concorrentes.

Características

O executivo da Scania afirma que o preço da nova linha de caminhões segue a tradição da marca que é de ser um produto de alto padrão e robustez. Os modelos contam com tecnologia de redução no consumo de combustível e da manutenção, bem como a facilidade de direção, fato que para um grande distribuidor acaba reduzindo custos de treinamento por reter o motorista por mais tempo na empresa.

São dois modelos com diferentes entre eixos que possibilitam pelo menos 10 combinações diferentes para carga urbana para este tipo de caminhão trucado. Um dos modelos é o P 270DB6x2NA, em que o entre eixos vai desde 5.100 mm a 6.300 mm. O trem de força (da própria Scania) é o mesmo do ônibus e de uma versão do pesado, tem 8,9 litros, torque de 1.250 Nm entre 1.100 e 1.400 rpm, sua potência é de 270 hp a 1.900 rpm e capacidade máxima de tração é de 66 mil quilogramas.

Como a Scania não trabalha com estoques, o interessado em conhecer o caminhão terá que rodar para encontrá-lo, pois a empresa fará demonstrações com algumas unidades, não definiu quantas, em concessionários por todo o Brasil. Para adquirir o produto o cliente deverá encomendar e aguardar na fila de espera que está ocupada em pelo menos 45 dias.

COMMENTS