Preço do diesel fica estável no mês de maio

Preço do diesel fica estável no mês de maio

Valor médio encontrado em 7,5 mil postos ficou em R$ 2,012. Gasolina está em R$ 2,88 e GNV possui diferenças de até 115%. Etanol começa a recuar nas bombas mas só é mais vantajoso em São Paulo. Dados são da pesquisa da ANP

Volvo testa caminhão que polui 10% menos que os Euro 5
Petrobras Biocombustível e Tereos inauguram destilaria de etanol
Rodovia em Mato Grosso tem diesel mais caro do Brasil

Abastecer com diesel no Brasil no mês de maio ficou no mesmo patamar de preços de abril, apesar de o preço máximo ao consumidor ter sido elevado em 6%. Esses dados estão na pesquisa de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), feita em cerca de 7,5 mil postos de abastecimento por todo o País.

Desde a última semana de abril até a atual, o maior valor do combustível encontrado pela agência, foi elevado de R$ 2,81 para R$ 2,98 nesta semana. De acordo com os dados da agência, um indicador que explica esse aumento é o reajuste da margem que aumentou de R$ 0,255 para R$ 0,257. O preço mínimo da amostra avançou e passou de R$ 1,020 para R$ 1,699, nesse mesmo período. Com isso, o preço médio do combustível no Brasil ficou quase estável, com R$ 2,012.

Dentre as estradas brasileiras, a que ofereceu o melhor preço para abastecimento foi a BR-153. De acordo com o levantamento da operadora de benefícios Ticket Car, a rodovia, que corta sete estados do País, teve o menor preço para quem trabalha na boleia do caminhão. Levando em conta os preços de abril, os motoristas que trafegam pelo trecho de Santa Catarina nesta rodovia pagam, em média, R$ 1,89 pelo litro do combustível. Já na BR 163, no estado de Mato Grosso, foi encontrado o maior valor cobrado, R$ 2,28 o litro.

Nas rodovias brasileiras mais movimentadas, as de São Paulo, o motorista encontrou um valor médio por litro muito semelhante entre si e transitava entre R$ 1,96 e R$ 1,98, na maior parte delas. O ponto fora dessa média, para cima, ficou com a BR 381 (Fernão Dias) onde foi registrado um valor médio por litro de R$ 2,004. Enquanto isso, na ponta de baixo, o menor valor ficou com a própria BR 153, a mais barata do País, com R$ 1,907.

Dentro das cidades, a Ticket Car levantou que o estado de Minas Gerais tem os melhores preços para o óleo diesel, onde a média cobrada é de R$ 1,949 por litro. Assim como nas estradas, o estado de Mato Grosso ostenta o título de diesel mais caro também dentro das cidades, com valor de R$ 2,287 o litro.

Outros combustíveis

Abastecer com gasolina ainda continua vantajoso em praticamente todos os estados brasileiros. Apesar disso o cenário começa a mudar. A diferença entre o derivado de petróleo e da cana-de-açúcar registrou queda pela primeira vez, desde fevereiro. Segundo o Índice de Preços Ticket Car (IPTC), nos primeiros 15 dias deste mês, o preço do combustível vegetal manteve-se, em R$ 2,12 o litro, 5,8% mais barato do que em abril, mas com a gasolina a R$ 2,88 o litro.

Esse valor é semelhante ao que a ANP reportou em sua pesquisa na última semana em mais de 8,5 mil postos de abastecimento. O preço médio desde o final de abril recuou de R$ R$ 2,89 para R$ 2,861. Já o preço máximo não mudou nesse período, sendo encontrado um valor a incríveis R$ 3,500 o litro. O valor mínimo também subiu o que mostra que o número de postos que reduziram seus preços é mais significativo que os que apresentam valor acima da média.

De volta à pesquisa da ANP, o início da safra de cana-de-açúcar começa a trazer os seus reflexos na bomba dos postos. Desde o final de abril, o preço médio do etanol recuou 12%, passou de R$ 2,325 para R$ 2,076.

Esse recuo também foi notado no levantamento da Ticket Car que em sua pesquisa, notou que o etanol recuou nas bombas paulistas e proporciona economia para os motoristas. A cidade de São Paulo teve redução de 8,32% no preço médio do produto na primeira quinzena de maio. Com essa mudança, a gasolina deixa de ser a melhor opção de abastecimento na capital. Com as alterações, as médias por litro em São Paulo são: gasolina R$ 2,82; etanol R$ 1,92; diesel R$ 2,01; biodiesel R$ 2,04 e GNV R$ 1,38 por metro cúbico consumido.

Aliás, segundo a ANP, o GNV no País avançou apenas 1% no último mês. O preço médio, no Brasil, desse energético ficou mais elevado do que em São Paulo. Na pesquisa em cerca de 500 postos o valor médio encontrado passou de R$ 1,621 para R$ 1,638. Na última semana do levantamento realizado pela agência, o valor mínimo encontrado foi de R$1,099 e o máximo de R$ 2,369, variação de 115%.

COMMENTS