Anel Rodoviário de Belo Horizonte (MG) tem maior controle de velocidade

Após acidente que deixou cinco vítimas fatais, rodovia tem quatro radares móveis e um fixo instalados. Outras cinco medidas foram definidas para melhorar a segurança do trânsito no local

Projeto de Lei autoriza agentes de trânsito a manipular cronotacógrafo
Kuehne + Nagel soma mais de mil dias sem acidentes em operação em Guarulhos (SP)
Número de acidentes com caminhões diminui em Minas Gerais

As Polícias Rodoviárias Federal e Estadual de Minas Gerais iniciaram na última quarta-feira (2) a fiscalização ostensiva da velocidade no Anel Rodoviário de Belo Horizonte.

Quatro radares móveis foram instalados ao longo da rodovia, nos km 537, km 538,40, km 539,70, km 541,30 e km 542,20; além de um equipamento fixo próximo ao km 539 (acesso ao pátio do Detran/MG).

A medida foi tomada em uma reunião da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Militar Rodoviária.

Trecho perigoso

O trecho em descida de seis quilômetros foi cenário de um engavetamento no último dia 28 envolvendo 15 veículos e fazendo cinco vítimas fatais. O caminhão bitrem carregado com 37 toneladas de trigo que causou o acidente estava em excesso de velocidade. No dia 31, cerca de 100 pessoas protestaram no local do acidente contra a situação do trânsito no anel viário.

Para melhorar a segurança do trânsito na rodovia, além da implantação dos radares móveis, também foi decidido revitalizar e adequar a sinalização horizontal e vertical, aumentar a presença do efetivo da Polícia Rodoviária Federal, instalar três radares estáticos ao longo do trecho e criar um Comitê Gestor do Anel Rodoviário de Belo Horizonte, para avaliar os riscos e aplicar as medidas preventivas.

A Polícia Rodoviária Federal também estará presente no trecho que antecede a entrada do Anel Rodoviário, com a utilização de um equipamento de controle de velocidade estático.

COMMENTS