Santos Brasil desenvolve ferramenta de gestão fiscal nas operações logísticas

Novo software facilita operações, integrando sistemas de gestão empresarial, armazém e transporte às diversas exigências fiscais de todo o território nacional

Volume de cargas frigorificadas movimentadas pela Ferroeste sobe quase 140%
Santos Brasil faz acordo com caminhoneiros no Porto de Santos
TCP, em Paranaguá, recebe lote de transtêineres para o cais de atracação

A operadora logística Santos Brasil desenvolveu um novo software para gestão e conciliação fiscal, integrada aos sistemas de gestão empresarial (ERP), de armazém (WMS) e de transporte (TMS). O objetivo é facilitar as operações logísticas, atendendo às regras de tributação nas atividades de armazenagem e transporte em todo o território nacional.

A necessidade de um processo mais ágil surgiu do crescimento da empresa no último ano. Em 2010, o Centro de Distribuição da Santos Brasil em São Bernardo deve atingir 75 mil transações (notas fiscais, CTRC’s, entre outras).Em 2011, a previsão é de que haja um aumento de 210 mil transações, em decorrência dos contratos firmados com a Mercedes-Benz e +Próxima, e das novas operações do Centro de Distribuição do Jaguaré, em São Paulo.

“Com o aumento das transações e diversificação das regras fiscais, específicas para cada região, optamos em desenvolver, em conjunto com nossa área fiscal, um software que atendesse nossa base de clientes como também a futura expansão nacional logística integrada às operações portuárias”, afirma o gerente de TI (tecnologia da informação) da Santos Brasil, Monstserrat Rampani.

A empresa realiza a integração operacional com os seus três terminais de contêineres, em Santos (SP), Imbituba (SC) e Vila do Conde (PA), e com o terminal de veículos em Santos (SP). Os serviços prestados permitem a gestão completa dos produtos do porto ao transporte e distribuição para o destino final. Essa verticalização possibilita maior eficiência nos processos, mas aumenta a complexidade fiscal que a operação envolve.

A coordenadora fiscal da Santos Brasil, Mara Mantovan, explica que a atividade logística da companhia tem características muito específicas. Alguns regimes especiais da empresa, como cross docking, estocagem aleatória e consolidação simbólica não eram atendidos pelos sistemas fiscais do mercado. “Por isto, optamos pelo desenho de uma nova ferramenta baseada nas nossas necessidades e na experiência que temos no setor”, diz a coordenadora, que também detalhou que o trabalho foi uma parceria das equipes da área fiscal e de TI para desenvolver uma solução sob medida.

“O que antes demoraria muito mais para ser consolidado, hoje podemos fazer em apenas um dia. Isto porque o sistema integra todas as entradas e saídas fiscais e é possível enxergar as informações consolidadas”, conclui.

COMMENTS