Consultoria em segurança

Consultoria em segurança

Neste artigo, Teanes Carlos Santos Silva busca contribuir com as organizações públicas ou privadas na contratação de empresa de consultoria em segurança

Um desafio para os gestores de TI
Álcool e direção: binômio avesso à vida
Prevenção de perdas no transporte de materiais

Este artigo busca contribuir com as organizações públicas ou privadas na contratação de empresa de consultoria em segurança; no entanto, não esgota o tema, deixando abertas discussões nas diversas variáveis, culminando em futuros estudos e pesquisas com mais profundidade.

Por que e quando contratar um trabalho de consultoria?

Algumas razões simples justificam a contratação dos serviços de consultoria em segurança, entre elas se destacam:

  • Projetos de curta duração – Com a alta demanda do dia a dia, onde gestores não conseguem atender as necessidades operacionais, a consultoria é uma boa alternativa, disponibilizando tantos profissionais quantos forem necessários, a fim de produzir rapidamente as tarefas.
  • Visão de especialista – Normalmente, não há efetivo disponível com conhecimentos profundos, na organização, para tratar de problemas específicos de segurança, sendo a consultoria uma solução,
  • Ponto de vista independente e imparcial – As empresas contratam uma consultoria detentora de experiência multidisciplinar e interdisciplinar para lhes apresentar uma solução específica, que atenda às suas necessidades,

Independente das razões que levam uma organização a necessitar de consultoria na área de segurança, uma coisa é certa: precisam elevar a sensação de segurança, que cai drasticamente, pelo aumento da criminalidade e ações violentas, invasões, seqüestros, dentre outros, procurando soluções de segurança eficientes, eficazes e efetivas. Buscar soluções para o planejamento estratégico e operacional, desenvolvimento, implantação, controles, ações corretivas, follow-up e melhorias contínuas, por conseqüência, serão fatores críticos de sucesso.

Quem contratar?

Devido à busca pela prestação de serviço de consultoria em segurança nos últimos tempos, muitos profissionais da área, com ou sem vivência significativa, enxergam aí, uma oportunidade. Infelizmente, quem perdeu seu emprego, escolhe ser um consultor, e como não houve gerenciamento e planejamento da carreira, este profissional não buscou as competências necessárias, vindo a realizar, por vezes, as atividades, de forma pouco profissional.

Ainda assim, estes consultores, também chamados de independentes ou autônomos, são uma opção, pois apresentam vantagens sobre as grandes consultorias,fornecendo propostas mais econômicas. No entanto, caso ele não consiga entregar o projeto por motivos de doença, acidente ou permanecer, por alguma razão, afastado das suas atividades por tempo indeterminado, quem continuará com as atividades? A quem reclamar? Será que ele possui algum patrimônio para que possamos pedir na justiça reparação de perdas?

Outra opção são as prestadoras de serviços e/ou fornecedores de produtos de segurança, que oferecem gratuitamente, ou sem ônus adicional aos contratos, a consultoria ou assessoria. Neste caso, há conflito de interesses? Existirá imparcialidade?

O tomador de serviços deve ponderar bem, para não cair nessas armadilhas praticadas e promovidas por pessoas e empresas com puro interesse comercial, esquecendo-se que o resultado do serviço da consultoria está baseado na solução técnica mais apropriada às necessidades do contratante, ou seja, precisa ser sustentável, executável, financeiramente viável e validada pela alta administração.

Algumas dicas para contratação de uma empresa de consultoria:

  • Verifique o nome da empresa, suas referências, sua metodologia de trabalho, a reputação dos consultores e demais colaboradores, por meio de experiências vividas por empresas que já realizaram essas contratações,
  • Na proposta de trabalho é importante que se estabeleça, inicialmente, o cronograma com a estimativa de tempo, objetivos do trabalho, meios a serem utilizados, limitações prováveis e estimativas de gastos,
  • No contrato deve constar o sistema de proteção e os cuidados para a preservação, sigilo e guarda de documentos com relação às atividades e informações, bem como, a fidelidade de seus colaboradores, os objetivos, abrangência dos serviços, e outros de interesse do contratante,
  • A consultoria deve propor a execução de serviços somente nas áreas para as quais esteja plenamente capacitada, e, onde não se encontre tecnicamente atualizada, capacitada ou não tenha experiência, pode contratar um free-lance. Diante disso, devemos solicitar à consultoria referência também de clientes que atuem na mesma área do nosso negócio,
  • Visitar as instalações da consultoria é tão importante quanto aferir a capacidade técnica, principalmente, para verificar o sistema de segurança adotado pela consultoria, que pode servir de modelo para a proteção física e lógica das informações coletadas na prestação dos serviços, bem como da própria instalação.

Vale lembrar que o produto da consultoria é o conhecimento gerado e desenvolvido por toda a vida dos profissionais por ela utilizado, sejam eles os sócios ou os funcionários.

Controlar e avaliar os resultados obtidos faz parte das responsabilidades do contratante, por meio do acompanhamento dos trabalhos executados dentro das especificidades.

A consultoria é um assessoramento aos gestores da empresa contratante; portanto, nunca se deve abrir mão das decisões, uma vez que as pessoas da organização são que mais entendem do próprio negócio, mitigando os impactos negativos e evitando engessar os seus processos.

Teanes Carlos Santos Silva, gestor de Segurança Empresarial.
teanes@transportabrasil.com.br

Visite o perfil do articulista

É proibida a reprodução do conteúdo deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Portal Transporta Brasil. As opiniões emitidas nos artigos são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do Portal Transporta Brasil.

COMMENTS