Anef registra R$ 173,1 bilhões em carteiras de CDC e leasing no mês de agosto

Levantamento da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras mostra saldo 15,7% superior ao volume de agosto de 2009

Scania leva alegria a 46 cidades brasileiras na Caravana de Natal
Indústria de implementos rodoviários recua 10,22% em 2014
Shacman deve inaugurar fábrica brasileira ainda este ano

De acordo com o levantamento da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), referente a agosto de 2010, o saldo das carteiras de CDC e leasing para compra de veículos pelas pessoas físicas totalizaram uma cifra de R$ 173,1 bilhões no período, 15,7% superior ao volume de agosto de 2009 (R$ 149,6 bilhões).

Além disso, o acumulado de 2010 já atinge um aumento de 10%. “O resultado reflete o bom momento da economia brasileira. O crescimento do nosso setor impulsiona a indústria automobilística e a confiança do consumidor também está em alta”, avalia Décio Carbonari de Almeida, presidente da Anef.

Modalidade preferida das pessoas físicas para financiamento de veículos, o CDC registrou um saldo de R$ 120,8 bilhões contra os R$ 85,3 bilhões do ano passado: alta de 41,6%. Já no acumulado de 2010, a carteira da modalidade registrou um acréscimo de 28,3%.

O leasing apresentou retração 18,7% nos últimos 12 meses, fechando agosto deste ano totalizando R$ 52,3 bilhões, ante R$ 64,3 bilhões do mesmo período de 2009.

A inadimplência acima de três meses permanece em queda na carteira de CDC. Em agosto deste ano, o índice foi de 3,2% contra os 5,1% no mesmo período do ano passado: recuo de 1,9%. %. “Os índices de inadimplência vêm caindo mês após mês. Com o aumento na renda média do trabalhador e a queda no desemprego, essa tendência deve persistir”, diz Almeida.

A taxa média de juros praticada pelas associadas à Anef retrocedeu 0,01% entre julho e agosto, fechando em 1,44% ao mês. “Apesar do aumento da taxa Selic neste mesmo período (indo de 8,75% a.a. para 10,75% a.a.), a maior participação de taxas promocionais oferecidas pelos bancos de montadora acabou por produzir aquela redução”, conclui o executivo.

Agosto fechou os planos médios em 42 meses, sendo que no mesmo mês em 2009 eram oferecidos 41 meses.

COMMENTS