Anef registra R$ 173,1 bilhões em carteiras de CDC e leasing no mês de agosto

Levantamento da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras mostra saldo 15,7% superior ao volume de agosto de 2009

Firestone tem novo pneu rodoviário para pesados
Polícia desmantela quadrilha de roubo de cargas em GO
Volvo tem nova casa em Santa Catarina

De acordo com o levantamento da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), referente a agosto de 2010, o saldo das carteiras de CDC e leasing para compra de veículos pelas pessoas físicas totalizaram uma cifra de R$ 173,1 bilhões no período, 15,7% superior ao volume de agosto de 2009 (R$ 149,6 bilhões).

Além disso, o acumulado de 2010 já atinge um aumento de 10%. “O resultado reflete o bom momento da economia brasileira. O crescimento do nosso setor impulsiona a indústria automobilística e a confiança do consumidor também está em alta”, avalia Décio Carbonari de Almeida, presidente da Anef.

Modalidade preferida das pessoas físicas para financiamento de veículos, o CDC registrou um saldo de R$ 120,8 bilhões contra os R$ 85,3 bilhões do ano passado: alta de 41,6%. Já no acumulado de 2010, a carteira da modalidade registrou um acréscimo de 28,3%.

O leasing apresentou retração 18,7% nos últimos 12 meses, fechando agosto deste ano totalizando R$ 52,3 bilhões, ante R$ 64,3 bilhões do mesmo período de 2009.

A inadimplência acima de três meses permanece em queda na carteira de CDC. Em agosto deste ano, o índice foi de 3,2% contra os 5,1% no mesmo período do ano passado: recuo de 1,9%. %. “Os índices de inadimplência vêm caindo mês após mês. Com o aumento na renda média do trabalhador e a queda no desemprego, essa tendência deve persistir”, diz Almeida.

A taxa média de juros praticada pelas associadas à Anef retrocedeu 0,01% entre julho e agosto, fechando em 1,44% ao mês. “Apesar do aumento da taxa Selic neste mesmo período (indo de 8,75% a.a. para 10,75% a.a.), a maior participação de taxas promocionais oferecidas pelos bancos de montadora acabou por produzir aquela redução”, conclui o executivo.

Agosto fechou os planos médios em 42 meses, sendo que no mesmo mês em 2009 eram oferecidos 41 meses.

COMMENTS