CNT divulga raio-x das estradas brasileiras

CNT divulga raio-x das estradas brasileiras

São Paulo segue como Estado com as melhores rodovias do País. Região Norte apresenta as condições viárias mais precárias

Número de empresas do TRC cai 29% de 2015 para 2016
Os melhores trechos rodoviários do Brasil
Somente 12% da malha rodoviária brasileira é pavimentada

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgou esta semana a Pesquisa CNT de Rodovias 2010. A 14ª edição do estudo avaliou a pavimentação, sinalização e geometria de toda a malha rodoviária federal e principais estradas do Brasil.

Foram aproximadamente 91 mil quilômetros de rodovias analisados na pesquisa que revelou uma melhoria significativa nas condições das malhas do principal modo de transporte do País. No estudo, 14,7% das estradas foram classificadas como ótimas, 26,5% como boas, 33,4% regulares, 17,4% ruins e 8% péssimas.

Em comparação à edição de 2009 da pesquisa, houve um crescimento de 10,2 pontos percentuais nas rodovias consideradas ótimas ou boas. O principal motivo observado foram os investimentos do governo em infraestrutura no período de 2007 a 2010, que são estimados em R$ 27 bilhões.

As regiões Norte e Nordeste do País concentram os maiores índices de rodovias com condições ruins ou péssimas. Dentro delas, Roraima é o estado com o maior número de estradas consideradas péssimas (48,8%). As regiões Sul e Sudeste apresentam as melhores condições na malha rodoviária, sendo São Paulo o estado com mais estradas avaliadas como ótimas (61,7%).

Ranking

De acordo com a pesquisa, as dez melhores ligações rodoviárias do País estão sob gestão concedida. A ligação São Paulo (SP) – Itaí (SP) – Espírito Santo do Turvo (SP) aparece em primeiro lugar, seguida pelo trecho de São Paulo (SP) – Limeira (SP), e Piracicaba (SP) – Mogi Mirim (SP) na terceira posição.

Todas as dez piores ligações pertencem à malha federal. São as três mais prejudicadas: Marabá (PA) – Dom Eliseu (PA); Manaus (AM) – Boa Vista (RR) – Pacaraíma (RR) e Rio Verde (GO) – Iporá (GO).

Investimentos

Com as informações resultantes da pesquisa, a CNT pretende direcionar as políticas setoriais de transporte, os projetos privados e programas governamentais para as áreas mais carentes em infraestrutura, viabilizando o desenvolvimento do transporte rodoviário de cargas e passageiros no País.

Nota: A foto que ilustra o destaque é trecho da PR-239. (Fonte: CNT)

Confira a íntegra na pesquisa no site da CNT.

COMMENTS