Indústria automotiva impulsiona a implementação de soluções de transporte mais robustas

Volumes maiores, prazos menores. Esse tem sido o desafio diário na cadeia de produção

Análise da Segurança Privada – Gestão 2012
Software como Serviço
O preço da imaturidade

De acordo com dados divulgados em maio pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, a indústria automobilística brasileira encerrou o primeiro semestre totalizando 1.753.201 veículos produzidos, um número 19% maior do que aqueles atingidos no mesmo período do ano passado.

As exportações também tiveram um ótimo desempenho: somaram US$ 5,7 bilhões no período, uma alta de 62% em relação a 2009. Volumes maiores, prazos menores. Esse tem sido o desafio diário na cadeia de produção.

Todo esse cenário de aquecimento se reflete também nos fornecedores que dão suporte ao setor. A cadeia que apoia as montadoras também passa por um bom momento, mas agora precisa superar alguns obstáculos para ser ainda mais ágil e assertiva.

No setor de transportes, por exemplo, o aumento do fluxo e da frequência de envios de peças de países da America Latina para diversos pontos do mundo tem feito com que os players ofereçam serviços ainda mais diferenciados. Dentre as inovações, está o transporte internacional consolidado, que move, de uma só vez, todos os pedidos de peças importadas solicitadas pelas concessionárias, entregando-as no país de destino, porta a porta, em cada revenda da marca.

O conceito, bastante simples, esconde um enorme esforço de integração entre clientes e fornecedores, e também sincronia logística, já que a entrega acontece em três dias, quando o padrão de mercado do setor de carga aérea internacional com frequência necessita de mais de dez dias.

Como resultado dessa simbiose de sucesso, o centro de distribuição mundial da FedEx em Memphis, por exemplo, acaba de receber o prêmio de melhor Hub de carga do conceituado Institute of Transport Management. O centro, que é a maior e mais antiga estrutura da FedEx Express, conecta clientes a mais de 220 países e territórios em seis continentes. A unidade opera com uma força de trabalho de mais de 15.000 pessoas e recebe mais de 5.000 voos por mês.

O sistema de triagem Hub contém mais de 480 quilômetros de esteiras transportadoras, capazes de processar cerca de meio milhão de embalagens por hora. Toda essa rapidez se traduz em giro mais rápido para a indústria, assim como a rede oferece acesso aos diversos mercados em expansão por meio de um único provedor.

Pedro Vigetti, gerente de Contas Globais para América Latina da FedEx. Há  23 anos na empresa, ocupou os cargos de executivo de contas, gerente e gerente sênior de vendas até chegar a sua função atual.Pedro é graduado em Programação de Computadores pela Microcamp Campinas e em Logística e distribuição pela Seeheim School Lufthansa Center, na Alemanha.

COMMENTS