Roberto Cavalcanti alerta para ‘apagão logístico’ se o governo não investir em infraestrutura

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) prevê aplicações de R$ 10 bilhões, mas estudo do próprio governo observa que serão necessários pelo menos R$ 42 bilhões

Lula critica taxações sobre etanol e pede que países produzam biocombustíveis
Empréstimo-ponte para infra-estrutura
Trilhos da Norte-Sul chegam ao Tocantins

O senador Roberto Cavalcanti (PRB-PB) alertou, em discurso nesta semana, para a possibilidade de o Brasil enfrentar um “verdadeiro apagão logístico” se o governo não investir pesadamente para melhorar a infraestrutura do país, especialmente os portos.

Assinalou que, no caso dos portos, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) prevê aplicações de R$ 10 bilhões, mas estudo do próprio governo observa que serão necessários pelo menos R$ 42 bilhões caso o Brasil cresça anualmente entre 4% e 5% nos próximos anos.

– Para fugirmos de um apagão logístico daqui a menos de cinco anos, precisamos de 265 obras no setor portuário, mas o PAC nos oferece 51. É preciso que o próximo presidente da República esteja comprometido com a idéia de aumentar a musculatura do PAC – opinou o senador.

Roberto Cavalcanti sustentou que, além da falta de investimentos, a área portuária brasileira sofre com problemas de gestão e burocracia, elevando ainda mais o chamado “custo Brasil’. Informou que tem estudado os problemas dos nossos portos e, nos próximos dias, vai se aprofundar no assunto, pois foi indicado relator, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), do projeto (PLS 117/10) que trata da segurança do tráfego aquaviário, buscando estimular a livre concorrência no serviço de praticagem. Disse que pretende ouvir todos os lados interessados.

COMMENTS