Portos do Brasil farão rastreamento de movimentações com radares a partir de 2011

Sistema jamais usado no País será adotado pelos portos de Santos (SP), Rio de Janeiro e Rio Grande (RS). O monitoramento eletrônico substituirá o controle de aproximação que, atualmente, é feito às cegas

Portos brasileiros movimentam 460 milhões de toneladas de cargas no 1º semestre de 2014
Porto de Paranaguá (PR) atinge recorde de caminhões no Pátio de Triagem
TNT quer vender operações no Brasil e China

Adotando o exemplo do segmento aéreo, a partir de 2011, os portos de Santos (SP), Rio de Janeiro e Rio Grande (RS) farão rastreamento das movimentações locais com sistema de radares. Ao custo de R$ 30 milhões, o monitoramento permite registrar a localização de navios de grande e pequeno portes. O Brasil nunca utilizou nada semelhante. Atualmente, a aproximação das embarcações ainda é feita às cegas.

O governo também planeja a instalação do sistema eletrônico de acompanhamento de carga, que visa mais segurança ao transporte de mercadorias. Este serviço, que já vem sendo utilizado por grandes empresas do setor, permite o registro dos produtos movimentados e auxilia na redução da estada do produto no porto.

A medida pode diminuir o tempo de espera de navios atracados, com isso, o comércio exterior pode ficar mais barato. “A diária de um navio no porto varia de US$ 50 mil a US$ 100 mil”, afirma José Paulo Alcântara, gerente do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro.

O sistema também trará melhorias no controle de conteúdo de contêineres, dando maior flexibilidade e rapidez à inspeção. Hoje, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) só pode atuar após a fiscalização do Ministério da Agricultura, e a Receita, por sua vez, só opera após o aval dos dois órgãos.

Por: Victor José – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS