Transpetro lança segundo navio do Programa de Modernização da Frota

Com 182 metros de comprimento, a embarcação a ser lançada hoje destina-se ao transporte de derivados claros de petróleo

Da fila de espera ao caminhão parado em poucos meses
Fundo vai beneficiar trabalhadores do Porto de Itajaí atingidos pela chuva
Governo de São Paulo conclui ligação Dutra – Carvalho Pinto

A Transpetro, empresa da Petrobras para a área de transporte, lança hoje (24) o segundo navio do Programa de Modernização e Expansão da Frota Nacional de Petroleiros (Promef). A solenidade será no Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ).

Segundo a Transpetro, o lançamento segue o cronograma previsto para este ano, que começou no dia 7 de maio, no Estaleiro Atlântico Sul (PE), com o navio Suezmax João Cândido.

Com 182 metros de comprimento, a embarcação a ser lançada hoje destina-se ao transporte de derivados claros de petróleo (gasolina, querosene de aviação e óleo diesel, entre outros) e terá capacidade para transportar 48,3 mil toneladas de porte bruto (unidade que caracteriza a capacidade total de transporte de carga de um navio, incluindo o combustível da embarcação).

O navio terá o nome do economista Celso Furtado, que criou a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e lançou “os fundamentos do moderno desenvolvimento do país”, de acordo com a Transpetro.

O Celso Furtado é lançado ao mar 13 anos após a última entrega de uma embarcação no estado. O último havia sido o Livramento, concluído em 1997 pelo Estaleiro Eisa.

Com a criação do Promef e a encomenda de 49 navios nas duas fases do programa – um dos principais projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – os estaleiros foram modernizados e surgiram novas unidades de produção, como o Atlântico Sul, em Pernambuco.

A construção dos 49 navios previstos no programa vai gerar cerca de 200 mil empregos diretos e indiretos em todo o país. Desse total, já foram licitadas 46 embarcações, das quais 38 estão contratadas. Os demais navios estão em fase final de licitação.

Somente no estado do Rio, o maior e mais tradicional polo naval do país, 16 navios já foram encomendados no âmbito do Promef, com investimentos de R$ 2,2 bilhões. O programa vai criar pelo menos 50 mil empregos no estado, sendo 10 mil diretos e 40 mil indiretos.

Cinco anos após o lançamento do Promef, o Brasil tem hoje a quarta maior carteira mundial de encomendas de petroleiros.

Link para a matéria original

COMMENTS