Governo prorroga IPI zero para caminhões

Incentivo terminaria em 1º de julho e foi ampliado por mais seis meses, com prazo de término em 31 de dezembro. Segundo ministério da Fazenda, desoneração fiscal terá impacto de R$ 775 milhões para os cofres do governo. Setor comemora

Caminhões Volvo são transformados em estúdios móveis de TV
Caminhoneiros ameaçam nova paralisação e Petrobras anuncia preço fixo do diesel
Dilma sanciona regulamentação da profissão de motorista

O bom momento de toda a cadeia que envolve o setor de transporte de cargas e logística acaba de ganhar mais uma notícia positiva. O governo federal, por meio do ministério da Fazenda, prorrogou a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para caminhões, implementos rodoviários e tratores até 31 de dezembro. A alíquota do tributo seria reajustada para 5% no próximo dia 1º de julho.

De acordo com o ministério, a desoneração fiscal para a venda de caminhões, implementos, tratores, veículos comerciais leves e bens de capital (máquinas e equipamentos industriais) terá um impacto de R$ 775 milhões nos cofres do governo. O ministro Guido Mantega justificou o incentivo com o fato de o setor estar se recuperando da crise internacional. Para ele, a indústria de caminhões e implementos precisa dos incentivos por mais algum tempo.

“O objetivo é estimular esses setores que começaram a se recuperar tardiamente da crise. Além disso, trata-se de bens de capital, e não de bens de luxo ou de consumo”, disse o ministro. Ele acrescentou que a prorrogação da desoneração até dezembro visa evitar a cobrança de ágio na venda de caminhões e tratores.

Peças

O governo também anunciou que atenderá o pedido da indústria automobilística de adiar o fim do redutor de 40% que hoje é aplicado sobre o Imposto de Importação de autopeças sem similar no país. O redutor será zerado de forma escalonada até maio do ano que vem.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil (com informações da Agência Brasil).

COMMENTS