Terminal marcada chegada ao Estado

Ao todo, o terminal, já em fase adiantada de construção no município de Alto Taquari (479 quilômetros ao sul de Cuiabá)

Via Oeste altera tráfego na Castello Branco
Vendas de caminhões recuam 0,2% em setembro
Justiça obriga Petrobras a fornecer diesel menos poluente a partir de 2009

Mato Grosso terá o maior terminal de combustíveis do mundo até o final de 2014. A informação foi apresentada pelos representantes do grupo Cosan à equipe da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) durante reunião realizada ontem. Ao todo, o terminal, já em fase adiantada de construção no município de Alto Taquari (479 quilômetros ao sul de Cuiabá), terá capacidade para armazenar 200 milhões de litros de combustível. Os investimentos não foram revelados.

O encontro na Sefaz teve ainda o objetivo de sanar dúvidas cadastrais e protocolos de operação no Estado. Cosan é a terceira maior produtora de açúcar do mundo, quinta maior produtora de etanol e uma das maiores exportadoras mundiais de etanol.

“Iniciaremos nossas operações em Alto Taquari até o final deste primeiro semestre. Neste ano nós estaremos inaugurando tanques com capacidade para 11 milhões de litros metros cúbicos de combustível. Para 2011 dobraremos esta capacidade”, destacou o gerente tributário do grupo, Sérgio Roberto da Cruz. A capacidade total de estoque será conquistada a partir de 2013, com o início da construção de outros nove tanques com capacidade de 20 milhões de litros.

Todo este volume de estoque faz parte da estratégia da empresa em criar uma alternativa logística para o escoamento da produção de etanol e biodiesel mato-grossense. Com a conclusão da obra, produtores do Estado poderão utilizar a ferrovia Senador Vicente Vuolo como saída mais econômica em relação ao transporto rodoviário, reduzindo custos e tornando o produto mais competitivo no mercado nacional e internacional.

Para tornar possível a operação de transbordo, a Cosan traz para Mato Grosso a bandeira Esso e até o final deste ano prevê a implementação de 10 postos em Cuiabá e Várzea Grande. Com isso, a logística ao Estado se torna mais favorável, frisa o gerente tributário. Assim, os vagões na ferrovia chegam ao Estado trazendo combustíveis fósseis e partem com os combustíveis produzidos em Mato Grosso.

Como o terminal em construção também deve atender a produtores do estado de Goiás, um protocolo de convênio pretende ajustar a tributação de parte do etanol produzido em território goiano. A Sefaz já concorda com o documento que agora é debatido pela empresa com o Fisco vizinho.

“Nós estamos trabalhando para sanar as dúvidas, para garantir que a economia do Estado seja aquecida com investimentos do setor privado. O importante ao Fisco é demonstrar como se operacionaliza a tributação para que o investidor tenha tranquilidade em seu projeto”, comentou o secretário de Fazenda, Edmilson José dos Santos.

A Cosan, além de adquirir e transportar a produção de terceiros, atualmente possui uma área de cana plantada estimada em 600 mil hectares, sendo a maior geradora de energia elétrica a partir de bagaço de cana. Em 2009 a empresa produziu 294 megawatts (mW), aproximadamente 9% da produção da usina hidrelétrica de Itaipu.

Link para a matéria original

COMMENTS