Governo promete mais subsídios ao trem veloz

Além da extensão do prazo de financiamento, que inicialmente era de 35 anos, dos quais cinco anos são relacionados ao tempo de carência

Transportadoras de MT reclamam
Regulamentação do transporte rodoviário é debatida em audiência pública
Ações da Scania caem com oferta da Porsche

O ministro dos Transportes, Paulo Passos, afirmou ontem, em fórum sobre a Região Sul do País, que o governo federal irá oferecer mais subsídios ao consórcio que vencer a licitação do trem de alta velocidade (TAV), que ligará São Paulo ao Rio de Janeiro, além da extensão do prazo de financiamento, que inicialmente era de 35 anos, dos quais cinco anos são relacionados ao tempo de carência.

O ministro ressaltou que por se tratar de um projeto de alto risco e de investimentos muito altos, o governo federal considerou algumas das reivindicações realizadas por interessados na construção do modal, coletadas durante as audiências públicas. Uma das mudanças é em relação às despesas com licenciamento ambiental que ultrapassarem o valor estipulado no edital. O governo assumirá estes valores. Em relação às desapropriações, elas também ficarão a cargo do poder público.

Passos também destacou que o governo está disposto a ceder um novo financiamento contingente para assegurar melhores condições ao consórcio, caso ele passe por dificuldades durante a concessão de 40 anos, além de garantir o apoio caso a expectativa em relação à demanda não seja consumada. “Por 10 anos nós iremos mitigar os riscos de demanda. O governo se compromete a apoiar o grupo vencedor em relação a isso”, garantiu. Passos confirmou que o governo brasileiro já está cotando os estudos de viabilidade técnica e operacional referentes à construção de novos trechos, que ligarão Campinas (SP) a Belo Horizonte (MG), São Paulo a Curitiba (PR) e Campinas ao Triângulo Mineiro (MG). “Começaremos a elaborar estes projetos em 2011”, finalizou Passos.

Logística

Presente no mesmo fórum, promovido pela Agência Estado, o presidente da empresa América Latina Logística (ALL), Bernardo Hees, afirmou que irá investir R$ 300 milhões na Região Sul este ano, com a compra de 30 locomotivas, 600 vagões e 10 mil toneladas de trilhos, e também na construção de pátios e acessos a portos da região.

O governo promete dar mais incentivos para o consórcio que levar o trem de alta velocidade. A União irá, por exemplo, arcar com custos adicionais do licenciamento ambiental.

Link para a matéria original

COMMENTS