ANTAQ prepara norma sobre trânsito seguro de produtos perigosos em instalações portuárias

Na primeira quinzena de abril, a Gerência de Meio Ambiente da Agência apresentou a minuta do texto durante a 18ª Reunião Ordinária da Comissão Permanente Nacional Portuária, que foi realizada em Itajaí, Santa Catarina

Ministro autoriza início de obras da Variante Ferroviária de Camaçari (BA)
Fiscalização de carga perigosa autua 31 caminhões na BR-386 em Montenegro
Concórdia Transportes é a vencedora do Prêmio José Tardivo 2011

A ANTAQ publicará, em breve, uma norma para disciplinar procedimentos para o trânsito seguro de produtos perigosos em instalações portuárias situadas dentro ou fora da área do porto organizado. Na primeira quinzena de abril, a Gerência de Meio Ambiente da Agência apresentou a minuta do texto durante a 18ª Reunião Ordinária da Comissão Permanente Nacional Portuária, que foi realizada em Itajaí, Santa Catarina.

Ricardo Freire, representante da ANTAQ na reunião, informou que, para elaborar a minuta, a Agência recebeu contribuições da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), da Fertilizantes Fosfatados S.A (Fosfertil) e de setores da Organização Marítima Internacional (IMO).

Durante sua apresentação em Itajaí, Freire expôs os principais tópicos da norma. Um deles é relativo à inserção de novos temas e definições. Nessa parte, o texto trará os conceitos de: área IMO; área para fumigamento; gerenciamento de risco; planejamento da atividade portuária quanto aos aspectos de gestão ambiental, de segurança e saúde ocupacional, entre outros.

O representante da ANTAQ ressaltou que esses conceitos, “embora existentes, ainda não estão consagrados pela legislação vigente.”

Outro tópico da norma será a “retirada de conceitos e definições” já consagrados em leis, decretos, portarias, resoluções e normas de procedimento, como, por exemplo, porto organizado, área do porto organizado, operador portuário e operação portuária.

Trâmite

Antes da publicação da norma, a Superintendência de Portos submeterá a minuta à Procuradoria- Geral da Agência para análise jurídica. Após isso, a norma será colocada em audiência pública.

COMMENTS