Hidrovia ‘da soja de MT’ fora do PAC 2

A avaliação do governo federal é a de que a hidrovia não é a solução para o escoamento de produtos agrícolas no momento

Projeto obriga uso de lona em caminhões graneleiros
ANAC modifica procedimentos para documentação de aeronaves e vistorias técnicas
Caminhoneiros pedem à Dilma ajuda para pagar financiamentos

A Hidrovia Teles Pires/Tapajós – considerada o melhor caminho para exportação da soja produzida em Mato Grosso – ficará fora da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), segundo informou o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes. “Essa não entrou, mas vamos reforçar Madeira (rio) e Porto Velho (porto)”.

Teles Pires ficará de fora, de acordo com o ministro, porque a avaliação do governo federal é a de que a hidrovia não é a solução para o escoamento de produtos agrícolas no momento. “Há muitos problemas a serem enfrentados”, disse, citando que não foi feito até o momento um estudo sobre sua viabilidade e que não é conhecido o número de eclusas necessárias para tornar o rio navegável. “Essa hidrovia seria viável apenas em 15 anos, mas temos pressa”. Apesar da afirmação, Stephanes reforça que a região Centro-Oeste do país será o foco dos empreendimentos.

De acordo com ele, o segmento de armazenamento de produtos agrícolas contemplado no PAC 2 será de R$ 3 bilhões, mas ele não revelou as cifras totais do PAC 2. “No total, o número ficará bem acima”.

Link para a matéria original

COMMENTS