BNDES prorroga o Procaminhoneiro para o final do ano

Banco de fomento decide prorrogar para 31 de dezembro o Programa de Sustentação do Investimento, com diversas linhas de crédito, incluindo o Procaminhoneiro. Apesar da boa notícia, caminhoneiros de todo o Brasil têm grande dificuldade em conseguir o financiamento

Ford apresenta soluções para o setor de Hortifruti granjeiro no CEAGESP
Direto da Redação – TV Transporta Brasil – nº 28
2018 foi o ano dos pesados

O Procaminhoneiro, programa do BNDES para estimular o crédito para a aquisição de caminhões novos e usados, com foco nos transportadores autônomos, ainda é um assunto que incomoda os caminhoneiros em todo o Brasil. Apesar de oferecer taxa de juros extremamente atraente, de 4,5% ao ano, e prazo de até 96 meses para a compra de caminhões novos e usados, com até 15 anos de fabricação, o programa tem recebido muitas críticas de seu público, por haver muita dificuldade na obtenção do crédito, falta de informações nos bancos credenciados e muita burocracia.

O BNDES considera o projeto um sucesso e, diante disso, estendeu o prazo do Procaminhoneiro, que venceria em julho, para o dia 31 de dezembro. A extensão do prazo vale para todas as outras linhas do BNDES PSI, Programa de Sustentação do Investimento, que inclui também o incentivo para a compra de máquinas, equipamentos e ônibus.

Os juros para financiamentos destinados à compra de ônibus e caminhões no âmbito da Finame, subirão de 7% para 8% ao ano. As taxas para aquisição de máquinas e equipamentos, incluindo os juros aplicados nas operações de exportação na modalidade pré-embarque, passarão de 4,5% ao ano para 5,5% ao ano. Nas linhas de inovação do BNDES, os juros continuarão entre 3,5% e 4,5%. As taxas são as efetivamente cobradas dos tomadores finais dos empréstimos.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS