Anac prevê que setor aéreo terá crescimento de 10%, no mínimo

Em fevereiro, o crescimento do setor foi de quase 43% em relação a fevereiro de 2009

Avianca e Gol lideram cancelamentos em maio
Anac libera uso de celulares durante o voo
Jato executivo da Embraer recebe certificação da ANAC

O mercado aéreo deve crescer “na casa de 10% para mais” este ano em número de passagens, previu a diretora-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Solange Vieira. Ela analisa também a forte demanda, que tem deixado abarrotados os maiores aeroportos do País, e que a Infraero, empresa responsável pela administração dos aeroportos brasileiros, começará a construir ainda este ano terminais provisórios no aeroporto de Guarulhos, para suprir o crescimento da demanda, até que obras de expansão fiquem prontas.

Em fevereiro, o crescimento do setor foi de quase 43% em relação a fevereiro de 2009. No entanto, de acordo com Solange Vieira, o aumento do movimento de passageiros este ano deve ser como o do ano passado, em que a alta foi de 17%. No ano passado, porém, o Produto Interno Bruto (PIB) recuou 0,2% e para este ano as expectativas para o PIB são de crescimento entre 5% e 6%.

A executiva citou os preços das passagens para explicar o motivo de a Anac não esperar expansão maior do número de passagens aéreas em 2010 devido ao aumento do PIB. “Tem uma variável que a gente não controla que é o preço”, disse. A diretora presidente da Anac também disse que a Agência está fazendo estudos em aeroportos com maior volume de passageiros para “agir preventivamente” e verificar “quais estão próximos do limite”.

Aeroportos

O presidente da estatal, Murilo Marques Barboza, informou que três módulos provisórios serão instalados no aeroporto paulista de Guarulhos, para atender a forte demanda do setor, podendo receber até 3 milhões de pessoas.

“A licitação está na rua. A construção de cada módulo leva cerca de dez meses. Teremos um primeiro módulo pronto ano que vem”, disse, após participar de cerimônia relativa à assinatura de protocolo de intenções para a instalação de unidades judiciárias nos aeroportos das 12 cidades sede da Copa de 2014.

Mais dois terminais estão previstos no aeroporto de Brasília (DF), e um ou dois no aeroporto Tom Jobim, no Rio. Barboza não detalhou os investimentos nessas construções provisórias, mas destacou que estão programados investimentos de R$ 8 bilhões nos aeroportos brasileiros até 2014, sendo R$ 6 bilhões somente nas 12 cidades que abrigarão jogos da Copa do Mundo que será realizada no Brasil. Os módulos poderão ser transferidos para outros aeroportos. A medida da Infraero visa se antecipar ao aumento da demanda previsto para os próximos anos, especialmente em função da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016 no País.

Link para a matéria original

COMMENTS