Safra recorde eleva valor do frete em Mato Grosso

A alta é de 25% em relação ao mesmo período de 2009, quando o custo para escoar a produção até o porto estava em R$ 180/tonelada

Brasil produzirá 162 milhões de toneladas de grãos na safra
Agricultores cadastrados no Mais Alimentos poderão financiar implementos com mais facilidade
VLI cria nova rota para escoamento de soja para o Porto de Itaqui (MA)

A perspectiva de safra recorde de soja e o excesso de milho nos armazéns estão impulsionando o valor do frete neste início de colheita em Mato Grosso. A alta é de 25% em relação ao mesmo período de 2009, quando o custo para escoar a produção até o porto estava em R$ 180/tonelada, e de 7% sobre o maior valor registrado em 2009.

Hoje, o custo para transportar soja do médio-norte do Estado até o Porto de Paranaguá (PR) é de R$ 225/tonelada, ante R$ 210/tonelada no início de março de 2009, pico do escoamento.

“O frete está alto e só tende a piorar com o avanço da colheita”, diz o diretor do CentroGrãos, centro de comercialização da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), João Birkhan. O diretor da Agrosecurity, Fernando Pimentel, diz que o alto nível dos estoques de milho, a expectativa de boa colheita na safra de verão e o aumento da área de milho safrinha tendem a puxar ainda mais os custos do frete. “Não dá para escoar soja e milho simultaneamente.”

Diante disso, os produtores usam os armazéns apenas como área de transbordo, para secagem da soja, que logo é transportada para os portos. Ele explica que este tipo de operação demanda um número muito maior de veículos, o que acaba elevando ainda mais o frete.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira, explica que o frete hoje em Sorriso representa 42% do valor dos R$ 28 da saca de 60 quilos de soja.

Link para a matéria original

COMMENTS