Produtores querem aumento para 10% da mistura de biodiesel ao diesel

Nas regiões metropolitanas, o objetivo é ampliar para 20% o biodiesel usado na composição do combustível

Financiamentos do BNDES para micro e pequenas empresas cresceram 51% em 2008
Melhorar mobilidade urbana é um dos desafios do próximo prefeito de BH
Vendas pela internet movimentam o setor de logística reversa no Brasil

Os produtores de biodiesel brasileiros querem aumentar, até 2015, a adição do produto ao diesel vendido no interior do país para 10%. Nas regiões metropolitanas, o objetivo é ampliar para 20% o biodiesel usado na composição do combustível. As metas são da União Brasileira do Biodiesel (Ubrabio), que representa 90% dos produtores nacionais.
Segundo a instituição, o país tem capacidade de aumentar em 1% ao ano a participação do biocombustível no diesel. Atualmente, o percentual é de 4% e, a partir de janeiro, passará para 5%.

De acordo com o diretor da Binatural, empresa que compõe a rede da Ubrabio, João Batista Cardoso, no próximo ano, as usinas de biodiesel vão faturar R$ 7 bilhões e investir R$ 1 bilhão em agricultura familiar.

“Nós temos capacidade instalada para produzir 4 bilhões de litros de biodiesel. Mas só produzimos 2,5 bilhões porque não há demanda e a carga tributária não permite que a gente exporte,. Não somos competitivos”, afirmou Cardoso.

Segundo ele, para sustentar o aumento do biodiesel, o país precisará produzir 7,5 bilhões de litros até 2015. Além disso, será preciso também modificar a lei para que a nova composição seja obrigatória. Em 2010 entrará em vigor o chamado B5, que é a obrigatoriedade de 5% de biodiesel no diesel de todo o país.

No próximo ano, oito novas usinas do biocombustível devem entrar em funcionamento – atualmente existem 65. O principal produto usado como matéria-prima é o óleo de soja, por causa da produção em escala suficiente para atender à indústria de biodiesel. Mas já existe tecnologia para produzir o óleo a partir da mamona, do girassol, da canola, da palma, do pinhão manso e de um tipo de gramínea chamada crambe. (Mariana Jungmann-Repórter da Agência Brasil)

Veja matéria original

COMMENTS