Montadoras vão contratar trabalhadores extra para atender demanda em alta, diz sindicato

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, muitas empresas instaladas nos municípios onde a entidade tem associados - São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra - deixarão de lado as férias coletivas para atender os pedidos do mercado doméstico, que estão em alta

Anac decidirá destino do aeroporto de Rio Branco
Ford reduz salário de executivos para não pedir ajuda ao governo
Instrutores de trânsito buscam apoio político contra resolução do Contran

A indústria metalúrgica da região do ABC Paulista já está em fase de pré-seleção de trabalhadores extra para dar conta da demanda de fim de ano. A informação é do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre.

Segundo ele, muitas empresas instaladas nos municípios onde a entidade tem associados – São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra – deixarão de lado as férias coletivas para atender os pedidos do mercado doméstico, que estão em alta. Esse cenário é preponderante entre as montadoras de automóveis.

“À exceção dos setores que estão com dificuldades para exportar, caso dos que produzem caminhões e ônibus, o que está programado para esse final de ano é apenas o esquema de recesso natalino com folgas compensadas posteriormente”, disse Nobre.

A situação é bem diferente da verificada no final do ano passado, conforme o sindicalista, referindo-se à falta de liquidez e às incertezas que contaminaram o mercado diante da crise financeira internacional. “O mercado está prevendo que a economia brasileira crescerá em torno de 5%, no ano que vem, e o primeiro trimestre tende a ser muito forte”, avalia.

Pelas estimativas da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), as vendas de veículos ao mercado interno deste ano deverão atingir novo recorde, ultrapassando a marca de 3 milhões de unidades, ante as 2,8 milhões registradas em 2008. Na semana passada, a General Motors anunciou que vai reforçar o quadro de funcionários com a contratação de 600 trabalhadores.

Desses, 250 vão compor a mão de obra da unidade de de São Caetano do Sul, no ABC paulista. A mesma quantidade será admitida para trabalhar na fábrica de São José dos Campos e os 100 restantes vão trabalhar na produção de componentes automotivos, em Mogi das Cruzes.

Veja matéria original

COMMENTS