Setembro entra para história com recorde de vendas em MT

Corrida pelo IPI reduzido fez com que concessionários vendessem como nunca

Projeto permite tirar habilitação em qualquer estado
Diretor da ANP considera difícil Brasil adotar carro de passeio movido a diesel
Obras não param, apesar da crise

A corrida pelo benefício da isenção e redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) fez de setembro o melhor mês em vendas de veículos de passeio zero quilômetro da história dos concessionários de Mato Grosso. Foram mais de 3,6 mil emplacamentos, volume que superou em 15% na comparação mensal – realizado em agosto – e em mais de 29% de incremento sobre as vendas contabilizadas em setembro de 2008.

Em setembro foram emplacados 3.640 automóveis (carros de passeio) no Estado, enquanto os números de agosto registraram 3.161 veículos. Em setembro do ano passado, início da crise mundial, esse número não passou de 2.821 unidades, o que representa um incremento de 29,03% nas vendas desse ano. Os números foram divulgados ontem pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos de Mato Grosso (Sincodiv) e revelam que o segmento mato-grossense seguiu o mesmo movimento registrado no Brasil, que também contabilizou setembro como um período recorde de vendas. Porém, na comparação anual, os números de Mato Grosso superaram os nacionais.

Em setembro, o mercado brasileiro somou vendas de 308.713 unidades, recorde histórico mensal, e que representa um avanço de 19,60% ante agosto. Na comparação com setembro de 2008, a alta é de 14,88%, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

“O número pode ser comemorado pelos concessionários do Estado, e se deve especialmente, à medida governamental adotada no início de 2009 com a isenção do IPI sobre carros novos”, avalia o presidente do Sincodiv, Paulo Boscolo.

O anúncio de que setembro seria o último mês beneficiado pela redução total do IPI criou expectativa por parte dos concessionários e dos consumidores. “O fechamento desse terceiro trimestre foi extremamente positivo e não há dúvidas que isso se deve à atuação da equipe econômica e ao governo federal que conhece a realidade e soube lidar com ela antes que se instaurasse um problema social”, afirma Boscolo.

Ainda segundo ele, não houve registro de fechamento de empresas, nem de postos de trabalhos. “Desde o início da crise incentivamos os empresários a manterem o efetivo”, diz. Dessa forma, as revendedoras passaram a se reestruturar e investir em outros setores, como o pós-venda e acessórios.

APOSTAS – Mesmo com o IPI subindo gradativamente até janeiro de 2010, a perspectiva para o mercado automobilístico do Estado é positiva. “Acredito que possamos fechar o ano com um aumento de 25% sobre as vendas de autos e 13% na comercialização de veículos leves. As motos devem se manter em queda ainda, mas esse número deve fechar em -10% apenas”, revela Boscolo. Ele afirma que o aquecimento do mercado interno foi muito importante para o segmento.

RITMO – Outros segmentos de veículos se mantiveram dentro das médias apresentadas nos últimos meses. As motocicletas continuam com as vendas em baixa devido à restrição do crédito. Foram 4.956 motos emplacadas no último mês, contra 5.017 em agosto e 6.965 em setembro de 2008.

O segmento de comerciais leves, que em geral acompanha o ritmo de crescimento dos autos, não apresentou grande elevação. Em todo o Estado registrou-se apenas 37 veículos emplacados a mais que em setembro de 2008. No comparativo mensal, a elevação do segmento foi de 12,73% em agosto de 2009 contra agosto de 2008, enquanto neste mês esse aumento não passou de 3,56% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Veja matéria original

COMMENTS