Seminário orienta policiais rodoviários no combate à exploração sexual infantil

Cerca de 80 policiais rodoviários federais participaram de um seminário sobre exploração sexual infantil no município de Guarulhos, na Grande São Paulo

Produção industrial tem leve alta em março, mas cai 7,9% no primeiro trimestre
Infra-estrutura é crítica para expansão das exportações
Estatal Entrega Biodisel

Cerca de 80 policiais rodoviários federais participaram de um seminário sobre exploração sexual infantil no município de Guarulhos, na Grande São Paulo. Os policiais participaram de atividades como debates e palestras de profissionais da área da infância e da juventude, que deram orientações diversas, entre elas, de como socorrer uma vítima de abuso e exploração sexual.

Para o presidente da Comissão Regional de Direitos Humanos da Polícia Rodoviária Federal em São Paulo, Waldiwilson dos Santos, a intenção do seminário é sensibilizar os policiais rodoviários para a questão da exploração sexual de crianças e adolescentes. “Queremos sensibilizar e capacitar os policiais para trabalhar com estas vítimas”, disse.

“Estamos tentando coibir e inibir esta prática que ocorre com frequência nas estradas brasileiras”, afirmou o presidente da comissão. Segundo ele, após o encerramento do seminário, o grupo organizará um manual com diretrizes para melhorar o atendimento dos policiais nas estradas brasileiras. “Queremos que os nossos policiais fiquem mais atento e enxerguem melhor o problema. Com isso, conseguimos fazer um mapeamento e uma série de ações para as áreas de risco”, disse. “Os policias estão tão focados no trânsito que acabam esquecendo a parte social”, afirmou Santos.

Para o inspetor Márcio Pontes, chefe da 1ª Delegacia da PRF em Guarulhos, o seminário “é extremamente válido”. “Deveria até ser matéria obrigatória na escola de formação de policiais. Acho importante porque não treina apenas o profissional, conscientiza o cidadão também”, disse.

Para Pontes, o trabalho do policial rodoviário não se resume apenas ao trânsito e sim sobre tudo o que ocorre nas estradas. “Os policiais devem ficar mais atentos ao movimento em geral. Hoje é sabido que crianças do Norte e Nordeste são tratadas como mercadorias e vendidas até mesmo pelos próprios pais. Com este seminário, os policiais ficarão mais atentos para pedir os documentos e verificar se a criança é realmente filho ou filha do condutor”, afirmou.

Segundo o inspetor, a polícia costuma chamar o Conselho Tutelar quando encontra crianças em situação de risco nas estradas ou nos postos de combustíveis. “Temos um trabalho de prevenção, estamos sempre verificando os pontos vulneráveis. Com estes cursos, ficamos atentos ao tipo de movimento e passamos a identificar outros possíveis locais onde haja exploração sexual”.

COMMENTS