Mato Grosso tem 3° menor preço do Brasil

Pelo levantamento da Agência, dos 17 estados monitoradas entre os dias 27 de setembro e 3 de outubro, o valor em vigor em Cuiabá, R$ 1,49

Jadlog prevê crescimento de 80% no faturamento em 2009
Desembarques crescem 28,2% em AL
Financiamento para aeronaves da Azul continua em negociação

A redução de 21,16% sobre os preços do metro cúbico do gás natural veicular, comercializado nas bombas da Grande Cuiabá, há uma semana, garantiu ao Estado o terceiro menor valor em vigor no país, conforme nova rodada de preços divulgada ontem pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Pelo levantamento da Agência, dos 17 estados monitoradas entre os dias 27 de setembro e 3 de outubro, o valor em vigor em Cuiabá, R$ 1,49, só perde para a média observada no Rio de Janeiro, R$ 1,38 e da média em vigor no Rio Grande do Norte, R$ 1,43.

Outros estados como São Paulo e Paraná também registraram preço de bomba médio equivalente ao de Mato Grosso (R$ 1,49).

Com a baixa, o Estado inverte posições ao deixar de ofertar o terceiro valor mais caro do Brasil, R$ 1,89. Ficaram a frente de Mato Grosso os preços de bomba de Rondônia, R$ 2,66 e Distrito Federal, R$ 1,99.

A Agência revela ainda que apesar de o preço de bomba se generalizar na Grande Cuiabá em R$ 1,49, o valor repassado aos postos, por meio da Companhia Mato-grossense de Gás (MT Gás), estatal responsável pela distribuição, exploração e comercialização do gás no Estado, é superior, R$ 1,58.

CONTRATO – A redução anunciada na semana passada pelo Estado, foi o primeiro reflexo do contrato assinado no último dia 11, entre a Companhia Mato-grossense do Gás (MT Gás) e a Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB), a estatal responsável pelo suprimento a Mato Grosso.

Apesar de a ANP contabilizar preço médio de R$ 1,89 para Mato Grosso, no monitoramento de preços anterior, há algumas semanas revendas localizadas em Cuiabá e Várzea Grande haviam iniciado ‘promoções’, reduzindo o metro cúbico em R$ 1,69. (MP)

Veja matéria original

COMMENTS