IPVA até 14% mais barato (MT)

Novos valores para cálculo do IPVA serão conhecidos a partir de novembro, após publicação da tabela Fipe

Braskem incorpora petroquímica Triunfo
Novo dono da Allison quer dobrar as vendas
Avianca assumirá o controle da OceanAir no Brasil

O Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) será menor no próximo ano em Mato Grosso, refletindo a desvalorização que dominou o mercado no primeiro ano pós-crise mundial. A previsão é de que a redução média seja de 12%. Para carros populares, motor 1.0, a queda pode chegar a 14%.

A redução do valor do imposto é reflexo da medida adotada pelo governo federal, que isentou modelos populares do Imposto Sobre Produto Industrializado (IPI) para carros novos, como também reduziu a alíquota do IPI para outros modelos. Ambas as ações foram implantadas com o intuito de minimizar os impactos da crise financeira mundial, que entre outros desdobramentos prejudicou o comércio de veículos usados, derrubando os preços em até 40%. O benefício do IPI vigorou, com isenção de 100%, de dezembro de 2008 a setembro deste ano e está sendo corrigido mês a mês até que o IPI cheio seja cobrado a partir de janeiro do próximo ano.

O IPVA é calculado sobre o valor médio de mercado dos veículos em setembro de cada ano, de acordo com levantamento feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Em 2008, o imposto adicionou à receita estadual R$ 196 milhões. Para 2009, com previsão feita ainda sobre o pessimismo do pós-crise, a expectativa era arrecadar R$ 182 milhões, mas a Sefaz volta a fazer as contas e espera por até R$ 230 milhões.

A Fipe deve divulgar o valor venal dos veículos entre o final de outubro e o começo de novembro. “A Fundação já informou que mantém uma projeção de queda de 12%. Por essa previsão, quem pagou R$ 1 mil em 2009, por exemplo, no IPVA 2010 vai pagar cerca de R$ 880”, ressalta o secretário de Estado de Fazenda, Eder Moraes.

MERCADO
– O anúncio do governo do Estado pegou o mercado revendedor de veículos novos e usados de surpresa, ontem. De modo geral, a redução é bem recebida e há quem diga que este benefício será um estímulo ao mercado de usados, o mais prejudicado pela crise mundial. “Reduções são sempre bem-vindas. E para alguns, a diferença sobre o valor do IPVA recolhido em 2009 contra o valor a ser pago em 2010 é suficiente para liquidar uma parcela de seguro, por exemplo. Economizar é sempre bom”, frisa o gerente comercial da Domani, concessionária Fiat, em Várzea Grande, Anderson Yves.

Mesmo eufórico, o presidente do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos em Mato Grosso (Sincodiv), Paulo Boscolo, diz que o IPVA mais barato já era esperado pela própria adequação do mercado. “Não há nenhuma bondade do Estado ao anunciar a redução. Isso é apenas um ajuste, uma correção que foi imposta pelo mercado. Aliás, correção que julgo tardia, pois a crise mundial derrubou o mercado de usados e novos há um ano, e esse ajuste já deveria ter vigorado em 2009. Afinal, a redução do IPI ajudou o segmento de novos e não o de usados”.

Como exemplifica Boscolo, um consumidor que comprou um carro por R$ 50 mil pagou todos os impostos referentes ao valor de R$ 50 mil e agora o carro vale R$ 40 mil. “Só haverá ganho à população se o mercado voltar a valorizar o veículo, caso contrário fica no ajuste mesmo”. De qualquer forma, como ressalta Boscolo, notícias com impacto positivo, mesmo que à primeira vista, são sempre boas “Favorecem o psicológico”.

Para o vendedor da Giovanni Automóveis, em Cuiabá, Bruno Oliveira, a medida não aquecerá o mercado de usados e favorecerá a vinda de carros de outros estados para Mato Grosso, ampliando a oferta. “Só o tempo para curar esse mau momento do segmento”.

Para Mosar Donizete, da Dandauto Veículos, em Várzea Grande, a notícia é boa e pode favorecer o mercado pelo aumento das vendas, mas não a valorizar os veículos.

DATAS – O calendário de pagamento do imposto para o exercício de 2010 será divulgado nas próximas semanas pela Gerência de Informações do IPVA (GIPVA), da Superintendência de Informações Sobre Outras Receitas (Sior) da Sefaz.

Em Mato Grosso, as alíquotas do imposto variam de 1%, para ônibus, microônibus, caminhão e moto, por exemplo, a 4%, para veículos de competição. “Do total de IPVA arrecadado, 50% é destinado ao Estado e 50% ao município onde estiver licenciado o veículo”, informa o secretário de Fazenda. (MARIANNA PERES-Da Editoria Diário de Cuiabá)

Veja matéria original

COMMENTS