Governo pode desistir de pedágio na Rio-Santos

A ideia de conceder a rodovia à iniciativa privada, com pedágios, vem sendo discutida pelo governador José Serra (PSDB) e já havia sido submetida ao Conselho Diretor do PED

Estado discute investimentos para modernizar o Porto de Maceió
Encontro de integrantes da Comissão da Ferroeste prevê a construção de ponte férrea entre PR e MS
Deputados definem agenda da comissão de desoneração do transporte

Técnicos da Secretaria Estadual dos Transportes já descartam a instalação de praças de pedágios na Rio-Santos.

A ideia de conceder a rodovia à iniciativa privada, com pedágios, vem sendo discutida pelo governador José Serra (PSDB) e já havia sido submetida ao Conselho Diretor do PED (Programa Estadual de Desestatização), informa a “Folha de S.Paulo”. O projeto do Estado avalia instalar dez praças de pedágio nas rodovias de acesso às praias, entre elas a Rio-Santos (SP-55), em um pacote que inclui a Tamoios (SP-99), no trecho que vai de São José dos Campos até Caraguatatuba.

No entanto, o anúncio do pedagiamento da Rio-Santos gerou protestos de grupos políticos e empresariais do litoral norte (São Sebastião, Ilhabela, Caraguatatuba e Ubatuba).

A alegação é de que, como os bairros dessas cidades se espalham à margem da rodovia e os municípios são quase conurbados, os moradores teriam de pagar a tarifa até para visitar vizinhos em praias próximas.

Agora, a análise técnica será encaminhada à Secretaria dos Transportes, mas   palavra final sobre o fim dos pedágios será dada ou não pelo governador Serra.

COMMENTS