Governo investe R$ 55 milhões em rodovias do Norte do Paraná

Os recursos fazem parte do programa Conservação Total que abrange intervenções em 9,5 mil quilômetros de rodovias em todo o estado até o final de 2010

Azul fará voos fretados para a Argentina
Anfavea: primeiro efeito do fim da redução do IPI nos automóveis deve ser sentido em maio
ALL calcula aporte de R$ 4 blhões na malha ferroviária até 2013

O Governo do Paraná está investindo mais de R$ 55 milhões em obras de recuperação e serviços de conservação em cerca de 2,1 mil quilômetros de rodovias na região Norte do Estado. Os recursos fazem parte do programa Conservação Total que abrange intervenções em 9,5 mil quilômetros de rodovias em todo o estado até o final de 2010.

“Os investimentos seguem um planejamento técnico elaborado pelo corpo técnico do DER para manter o que foi recuperado, recuperar estradas que foram se degradando ao longo do tempo e também conservar trechos para que esses não venham a apresentar problemas no futuro”, disse o secretário dos Transportes, Rogério W. Tizzot, durante a abertura do 11º Encontro Técnico do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), realizado nesta quinta-feira (22) em Londrina.

Segundo Tizzot, o programa Conservação Total busca ainda estabelecer a cultura de conservação no Departamento. “O programa tem que continuar nos próximos anos com o objetivo de estabelecer uma programação técnica de execução de serviços diários e rotineiros que evitam a degradação prematura das estradas”, disse, ao lembrar que estudos comprovaram que cada real gasto na conservação rotineira evita o gasto de oito reais em obras de recuperação.

As obras do Conservação Total são divididas em duas frentes principais e envolvem a manutenção das vias com reparos localizados, drenagem e recomposição do pavimento, conservação da faixa de domínio (limpeza dos acostamentos e da vegetação), recuperação, sinalização, segurança rodoviária e pesagem de veículos.

Entre as intervenções na região está a recuperação, recentemente concluída, dos 52 quilômetros da via que liga Furnas ao distrito de Porto Ubá no Vale do Ivaí, e a melhoria em andamento de mais 50 quilômetros da estrada de Porto Ubá até Mauá da Serra.

Tizzot detalhou que as obras seguirão um cronograma onde será da prioridade aos trechos com maior fluxo e que estejam em pior situação de conservação. “As intervenções serão escalonadas tecnicamente. Ao final de 2010, o Paraná terá, se não a melhor, uma malha rodoviária em excelentes condições”.

ENCONTRO – A 11a edição do Encontro do DER contou com a participação de cerca de 200 pessoas entre funcionários, estudantes e profissionais da área.

Do início da manhã até o final da tarde foram debatidos assuntos como desapropriação, qualidade de asfalto, pontos críticos de acidentes, contenção de erosões, limpeza de acostamento, conservação de rodovias, trincas e deformações de pavimentos.

Foram 13 palestradas, sendo que sete apresentadas por funcionários do próprio corpo técnico do DER. Trabalhos e estudos que foram compartilhados entre engenheiros e técnicos de diferentes regiões do estado.

“São debates enriquecedores, que trazem alternativas e soluções para dificuldades e problemas que nossos técnicos encontram no trabalho diário nas estradas. Um solução encontrada em uma obra no Noroeste pode auxiliar um serviço que está sendo executado no Litoral.”, exemplificou Tizzot.

Além das palestradas internas, o Encontro, mais uma vez, contou com a participação de convidados de Universidades e da iniciativa privada.

O Encontro Técnico foi organizado pela Associação de Engenheiros do DER/PR (Aeder) em conjunto com a Superintendência Regional Norte do DER, com a Coordenadoria de Pesquisa e Desenvolvimento, com a Coordenadoria de Recursos Humados e com o setor de Geoprocessamento.

BOX

Livro de engenheiros do DER traz técnicas para obras mais econômicas

Durante o 11o Encontro Técnico do DER, foi feito o lançamento e a distribuição da 4a edição do livro “Tratamentos Superficiais”. A publicação, originalmente de 1985, foi revisada e é fruto de trabalho dos engenheiros do Departamento José Antônio Araújo Fernandes, José Burigo Júnior e Oswaldo Martins Pereira Sobrinho.

O livro, distribuído aos participantes do Encontro, serve como um manual para utilização da técnica, reconhecidamente econômica, na conservação e recuperação de rodovias. Os estudos da década de 80 foram realizados nos laboratórios da regionais Noroeste, em Maringá. Desde então, foram atualizadas as pesquisas a respeito da calibragem dos equipamentos, instruções de serviço, métodos de dosagem do material utilizado.

De acordo com o engenheiro José Antônio, diretor-geral em exercício do DER, as técnicas desenvolvidas no DER do Paraná são até hoje utilizadas por outros estados, como Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais.

Veja matéria original

COMMENTS