Entrevista com Mauro Arce, secretário de Transportes do Estado de São Paulo: Rodoanel, rodovias, concessões, Porto de Santos

Leia a íntegra da entrevista concedida ao Portal Transporta Brasil pelo secretário de Transportes do Estado de São Paulo, Mauro Arce, sobre Rodoanel, rodovias, porto e outros assuntos relacionados ao transporte de cargas

Adauto Bentivegna Filho comenta o prazo do ICMS e outros aspectos tributários
Plantão Covid-19 – episódio 56 – Locação de caminhões na crise
Plantão Covid-19 – episódio 13 – A visão da indústria: Volvo

mauro-arceO secretário de Transportes do Estado de São Paulo, Mauro Arce, concedeu entrevista exclusiva ao Portal Transporta Brasil e falou sobre o andamento das obras do Trecho Sul do Rodoanel, a conclusão do projeto, as rodovias paulistas e o Porto de Santos. Confira a íntegra da entrevista:

Portal Transporta Brasil: Existe um estudo para transformar a Via Anchieta em uma rodovia exclusiva para o transporte de cargas e de passageiros. Esta é uma proposta viável? Como seria implementada?

Mauro Arce: Existe um problema, pois não é permitido o tráfego de caminhões ou ônibus na nova pista da Rodovia dos Imigrantes. Se estes veículos tivessem um sistema de frenagem sofisticado, seria permitida a circulação na via. Não temos como fiscalizar se todos os veículos contam com os freios mais modernos. Desse modo, todos os veículos de cargas vão para a Anchieta, na descida. Uma das possibilidades é que, principalmente os motoristas de veículos leves, evitem, na medida do possível, utilizar a Anchieta, pois tivemos tido, apesar da fiscalização da Polícia Militar Rodoviária, muitos acidentes. E são acidentes graves, que envolvem caminhões e carros velhos ou motocicletas. Proibir a descida dos veículos de passeio pela Anchieta e deixar esta via exclusiva para o transporte de cargas e passageiros não seria viável. Mas estamos propondo a realização de uma campanha para que as pessoas utilizem a pista da Imigrantes. É uma campanha sob o aspecto educativo para evitar que os carros se envolvam em acidentes na Anchieta. Queremos tentar educar os motoristas para que usem com preferência absoluta a Imigrantes.

Portal Transporta Brasil: Como estão as obras do Trecho Sul do Rodoanel? Ficarão prontas em março de 2009?

Mauro Arce: Esta é a data. Até 27 de março as obras do Trecho Sul ficam prontas: a ligação da Régis Bittencourt com a Imigrantes e Anchieta, até Mauá. O cronograma está mantido. Há lotes que talvez terminem até antes.

Portal Transporta Brasil: Quando serão iniciadas as obras do Trecho Leste?

Mauro Arce: Na realidade, o projeto já foi iniciado. Já fizemos as audiências públicas e estamos preparando o Projeto Ambiental. Já temos o traçado e, dependendo do resultado, se o traçado apresentado for aprovado do ponto de vista ambiental, teremos uma grande etapa vencida. Para mim, a obra começa quando estou fazendo o estudo ambiental. Então, já começou.

Portal Transporta Brasil: A secretaria tem uma previsão de quando o projeto do Rodoanel ficará pronto em sua totalidade? O que este projeto representará para a logística paulista?

Mauro Arce: Ter um Rodoanel completo é um grande sonho. A atuação deste governo foi muito importante, com a liberação dos recursos, e estamos adiantados nas obras. Começamos o Trecho Sul no final de maio de 2007 e vamos entregar com antecipação em relação à data contratual. Estamos trabalhando no Trecho Leste e, evidentemente, o passo um pouco mais atrasado é o Trecho Norte. Terminada a parte ambiental, entraremos rapidamente com a definição de como fazer o Trecho Leste e, paralelamente, estamos estudando o Trecho Norte. Na realidade, havendo recursos e viabilidade para as obras, eu diria que seria possível terminar os 170 quilômetros do Rodoanel em meados de 2014.

Portal Transporta Brasil: Que outras alternativas o governo do Estado de São Paulo tem para o transporte de cargas, em outros modais que não o rodoviário?

Mauro Arce: Este é um ponto fundamental. Já temos boas estradas, vamos continuar a melhorar e ampliar a rede de rodovias, mas a nossa matriz de transportes está desequilibrada. Mais de 90% de toda a carga é transportada por via rodoviária. Sabemos que há alguns tipos de mercadorias que não se adéquam ao transporte rodoviário. Por exemplo: transportar qualquer tipo de líquido em grande quantidade por caminhão é anti-econômico, pode ser perigoso dependendo do produto, e temos que pensar em outros modais. Em particular, o modal ferroviário é fundamental.  Não podemos conceber que em um porto como o de Santos o modal ferroviário seja tão pouco usado. Há, claro, alguns gargalos para serem vencidos, mas o governo do Estado está empenhado para que esta melhoria ocorra e para que haja a opção de modais.

Portal Transporta Brasil: São Paulo tem as melhores rodovias do Brasil, de acordo com levantamento feito por uma revista. É possível que vias não concedidas, que ainda estão sob a administração pública, terem este mesmo padrão?

Mauro Arce: Este é o grande esforço que está sendo feito. Nem todas as rodovias do Estado, estamos falando aí de quase 20 mil quilômetros de rodovias estaduais e mais de 170 mil quilômetros de rodovias municiais, podem ter o mesmo padrão. Sei que o interesse da iniciativa privada não está voltado para muitas rodovias. Estamos trabalhando, e prova disso é que esta qualidade das estradas paulistas começou com o DER. Isso é uma tradição do Estado de São Paulo. Talvez uma tradição que veio da época da construção da Anchieta. São Paulo foi o primeiro Estado a ter um Grupamento Rodoviário, que era um órgão do DER que depois foi transferido para a Polícia Militar. A modernidade das rodovias de São Paulo é uma história de tradição. Estamos procurando, nas vias não concedidas, aquelas que vão continuar por muito tempo sendo administradas pelo DER, dar o mesmo tipo de padrão. Estamos aumentando o número de Unidades Básicas de Atendimento para que possamos, na medida do possível, ter o mesmo grau de qualidade. Estamos com investimentos enorme na ampliação e recuperação das estradas estaduais, com criação de terceira faixa, recuperação de piso, asfaltamento dos acostamentos, para que não haja um choque para o usuário, quando ele sai de uma estrada concedida e acesse uma via sob administração do Estado. O nosso desafio é buscar, para as estradas diretamente administradas pelo governo por meio do Departamento de Estadas e Rodagem, a maior proximidade possível que temos nas estadas concedidas.

Portal Transporta Brasil: Como o Porto de Santos está se preparando para o aumento da demanda previsto para os próximos anos?

Mauro Arce: Do ponto de vista do Porto, é evidente que o Estado de São Paulo sempre teve o desejo de que a administração do porto passasse a ser do Estado e dos Municípios. Isso não foi possível, o governo Federal resolveu continuar administrando o porto e de nossa parte tem todo o apoio. Existe uma série de obras de infraestrutura que precisam ser olhadas como um conjunto. O Porto de Santos deve exportar este ano pouco menos de 100 milhões de toneladas e espera-se que, daqui a 10 anos, este volume esteja em 250 milhões de toneladas. Eu não posso imaginar que mais de 80% desta carga chegue ao porto por via rodoviária. Tem que haver uma análise conjunta e uma participação muito grande de todos os poderes envolvidos. Precisamos oferecer alternativas para este modal rodoviário. É isso que estamos fazendo.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

Leia a matéria principal

COMMENTS