Brito assina dragagem para Porto de Santos

A empreitada custará quase R$ 200 milhões ao governo federal

Produtor de oleaginosas usadas na produção de biodiesel poderá ganhar linha de crédito especial
Avião da azul
Pedágios poderão subir mais 9,74%

O ministro da Secretaria Especial dos Portos (SEP), Pedro Brito, assinou ontem o contrato das obras de dragagem (aprofundamento do cana) no Porto de Santos. A empreitada custará quase R$ 200 milhões ao governo federal e será executada pelo consórcio formado pelas empresas EIT Empresa Industrial Técnica, DTA Engenharia, Equipav Pavimentação e Comércio e Chec Dredging (representante de uma companhia chinesa).

“A partir do momento que estiver concluído o aprofundamento, a capacidade de Santos aumentará em 30%”, comentou Brito, em Santos.

O ministro acrescentou ainda que quando o canal de Santos atingir os 15 metros de profundidade (meta da obras), haverá uma mudança de toda a logística de costa brasileira. “O porto se tornará um concentrador de cargas, operando navios maiores, onde a partir daí, essas cargas passarão a ser distribuídas pela cabotagem [navegação costeira]”, disse.

De acordo com o chefe da SEP, a embarcação que fará o serviço (draga) deve chegar em até 45 dias em Santos, sendo que a Licença de Instalação do Ibama sairá antes desse prazo. A partir daí, as empresas terão ó prazo de um ano para concluir a obra.

As obras de aprofundamento em Santos, incluem o Plano Nacional de Dragagem (PND) que aportará até R$ 1,5 bilhão nos 19 principais portos do País e que tem atraído o interesse de várias companhias estrangeiras. (Fabíola Binas-DCI)

Veja matéria original

COMMENTS