ANTT deve se pronunciar até esta sexta-feira sobre isenção de pedágio em Santa Catarina

Justiça deve decidir se aceita o pedido de liminar para a suspensão imediata da cobrança

ANTT lança edital de concessão do Trem de Alta Velocidade que ligará São Paulo ao Rio de Janeiro
SENAT oferece curso de responsável técnico para transportadoras em SP
Tabela referencial de frete é publicada pela ANTT

A Justiça Federal deu prazo até esta sexta-feira para que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) se pronuncie sobre a ação do Ministério Público Federal (MPF) que pede o cumprimento da lei que prevê isenção do pagamento da taxa de pedágio nas rodovias federais de Santa Catarina.

A Justiça deve decidir, em seguida, se aceita o pedido de liminar para a suspensão imediata da cobrança e o ressarcimento dos usuários.

A lei estadual diz que os veículos com placas de pedágio da mesma cidade onde a praça de pedágio foi construída devem ter isenção de pagamento.

Segundo o MPF, as concessionárias responsáveis pelas rodovias não têm cumprido a legislação.

— A lei estadual deve ser cumprida até que a concessionária consiga, se é que vai conseguir, derrubar esta lei no Poder Judiciário, porque a atribuição para dizer se a lei é constitucional ou não é do Poder Judiciário, única e exclusivamente — afirma o procurador do MPF, Mário Sérgio Barbosa.

A liminar vale para todos os postos de cobrança instalados na BR-101 e na BR-116. Entre os pedidos da ação do MPF está o ressarcimento aos consumidores que pagaram o pedágio desde o dia 4 de agosto.

A assessoria de imprensa da OHL disse que a empresa não foi notificada sobre o assunto e, por isso, não vai se pronunciar sobre o caso.

Veja matéria original

COMMENTS