Porto Seguro lança campanha de combate à prostituição infantil nas estradas de SP e PR

Companhia de seguros promove durante o mês de outubro campanha educativa com distribuição de folhetos para conscientizar motoristas sobre a prostituição infantil nas rodovias administradas pela EcoVias e Via Oeste, no Estado de São Paulo, e Viapar, no Paraná

Campanha do agasalho da Estrada Transportes arrecada cerca de 800 peças
Jovens empresários do transporte organizam arrecadação de agasalhos
ID Logistics realiza campanha de sustentabilidade ambiental e social

A Porto Seguro Transportes vai realizar durante todo o mês de outubro uma campanha educativa para combater a prostituição infantil nas estradas. De acordo com a seguradora, o intuito é distribuir folhetos para os motoristas com o objetivo de sensibilizar os motoristas para o problema. Para a gerente de Transportes da Porto Seguro, Rose Matos, a conscientização dos profissionais do volante é imprescindível para acabar com esta prática nas estradas brasileiras. “Com a iniciativa, queremos envolver os motoristas no combate à prostituição infantil, ressaltando que a melhor maneira de acabar com o problema é dizer ‘não’ à prática”, explica Rose.

A campanha será realizada nas rodovias administradas pela EcoVias (sistema Anchieta-Imigrantes) e Via Oeste (sistema Castello Branco-Raposo Tavares), no Estado de São Paulo, e pela Viapar, no Paraná, e consistirá na distribuição de folhetos aos motoristas, com a frase “Criança é criança em qualquer lugar, até na estrada”.

Números assustadores

O cenário da prostituição infantil no Brasil assusta. Segundo dados da Universidade de Brasília, Secretaria Nacional de Direitos Humanos e Unicef, a exploração sexual de crianças ocorre em 927 dos 5.561 municípios brasileiros. De acordo com o levantamento, São Paulo é o Estado com maior número de casos do País, com registros em 93 cidades. Cerca de 500 mil crianças são atingidas pelo problema em todo o Brasil, onde há pelo menos 241 rotas de tráfico de menores.

“A prostituição infantil é crime e está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 9.975/2000)”, diz Rose Matos. “A pena pode chegar a dez anos de prisão e é aplicada não apenas às pessoas que mantém relações sexuais com crianças e adolescentes, mas também aqueles que incentivam a prática e aos proprietários de estabelecimentos onde ocorrem”, completa a gerente da Porto Seguro.

Abordagem perigosa

Rodovias onde há intenso tráfego de caminhões são os principais pontos de exploração sexual no país. A abordagem geralmente ocorre nos acostamentos das estradas, onde meninas ‘se oferecem’ por meio de acenos aos motoristas. O contato também é feito durante as refeições dos motoristas ou quando o caminhão estaciona para abastecer nos postos de apoio.

As causas do problema estão relacionadas principalmente a fatores sociais, como a miséria. Crianças e adolescentes acabam se prostituindo para ‘ajudar’ suas famílias e contribuir com o orçamento doméstico. Porém, muitos desses menores são utilizados como “chamariz” para que bandidos roubem cargas e mercadorias transportadas, ou os próprios caminhões.

Para que o motorista não seja surpreendido, a Porto Seguro Transportes sugere algumas dicas:

  • Carona: a principal recomendação é nunca dar carona a estranhos, pois dificilmente você saberá quem é aquela pessoa e quais são as suas “intenções”;
  • Paradas: procure parar nos pontos de apoio rodoviários, que possuem a estrutura necessária para o atendimento ao caminhoneiro. Evite locais ermos;
  • Socorro: Caso tenha que prestar socorro a mulheres, crianças e pessoas acidentadas em lugares desconhecidos, chame antes a Polícia Rodoviária Federal;
  • Vigilância: mantenha o veículo sob vigia constante, principalmente nos momentos em que for tomar banho ou comer. Na hora de prosseguir viagem, faça uma pequena “revisão” para verificar se não houve nenhum tipo de sabotagem;
  • “Confiança”: não revele a pessoas desconhecidas informações sobre o que está transportando, qual o destino e o valor da carga;
  • “Solidariedade”: caso note alguma situação suspeita envolvendo outros caminhoneiros, não deixe de comunicar a Polícia Rodoviária. Procure criar códigos de alerta com os demais motoristas. Quando for necessário trafegar em rodovias mais perigosas, sobretudo à noite, ande sempre em comboios;
  • Denuncie: Você pode denunciar casos de exploração sexual de menores ligando de qualquer parte do país para o ‘Disque Denúncia’. O número do telefone é 100 e atende todo o Brasil. As ocorrências também devem ser encaminhadas a Polícia e ao Conselho Tutelar, cuja função é garantir o cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS