Com greve, serviços de entregas dos Correios estão suspensos

Sedex, Sedex 10 e Sedex Hoje são alguns dos serviços inoperantes da estatal devido à greve e só deverão voltar a funcionar depois do fim da paralisação. Funcionários da estatal pedem incorporação de R$ 300,00 nos salários e estão em greve desde terça, 15 de setembro

MercadoLivre e os Correios comemoram um ano de parceria
Greve dos Correios já atrasou entrega de 34,6 milhões de cartas e 339 mil encomendas
Correios criam novo serviço de entrega expressa de encomendas

Os Correios estão novamente em greve. De acordo com informações da Agência Brasil, a estatal está com todos os serviços de entregas de encomendas paralisados. A greve atinge o Sedex, Sedex 10, Sedex Hoje e o Disk-Coleta. Segundo a Agência, pelo menos 30 dos 34 sindicatos que representam os trabalhadores dos Correios em todo o Brasil aderiram à paralisação.

Os trabalhadores pedem a incorporação linear de R$ 300,00 aos salários e reivindicam também auxílio-educação, auxílio-creche e aumento do vale-refeição para R$ 25,00. Hoje o vale é de R$ 20,00 por dia. Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos de São Paulo, Adroaldo Negreiros, 70% dos funcionários das áreas de distribuição, tratamento e transporte paralisaram as atividades.

Em cada Estado, há reivindicações diferentes. No caso do Paraná, os trabalhadores pedem reposição salarial de 41,03%, correspondente às perdas ocorridas desde agosto de 1994.

Greve não é apenas por salários

Segundo representante do sindicato paranaense, os trabalhadores não estão “brigando por apenas questões salariais, querem segurança, portas giratórias nas agências e redução de jornada de trabalho”. Ele disse que os 6,3 mil funcionários do Paraná vão para o trabalho apreensivos, com medo de assaltos.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

Com informações do Portal Terra e da Agência Brasil

COMMENTS