LLX obtém licença para Porto Sudeste; Santos registra movimento recorde

A LLX Logística, por exemplo, conseguiu a licença ambiental necessária para construir o Porto Sudeste, para o qual a companhia tem planos de iniciar operações em 2011

Transpetro lança segundo navio do Programa de Modernização da Frota
ICMS: Operador Logístico, Subcontratação e Direito a Crédito
Agência de transporte cria metas para as ferrovias da Vale

O ânimo nas docas brasileiras deve melhorar com a volta das marés de negócios, depois da retração na demanda por conta da turbulência econômica. A LLX Logística, por exemplo, conseguiu a licença ambiental necessária para construir o Porto Sudeste, para o qual a companhia tem planos de iniciar operações em 2011. O projeto foi planejado para receber navios graneleiros, em Itaguaí, na Bacia de Sepetiba (RJ). A unidade escoará a produção da MMX Mineração e Metálicos.

O terminal portuário deve movimentar até 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano e fica próximo à malha férrea da MRS Logística, que tem como um dos principais produtos o transporte da matéria-prima. Segundo a LLX , a construção do porto deve começar ainda este semestre.

Santos

Já a Companhia Docas do estado de São Paulo (Codesp) divulgou os resultados operacionais do 1º semestre de 2009, período em que movimentou 38,4 milhões de toneladas de carga, o que significa um salto de 3% em relação ao mesmo período do ano anterior. De acordo com a Codesp, se considerada a performance do período, tudo indica que ” Santos possa superar as previsões de movimentação, fechando o ano com 81,4 milhões de toneladas”, colocou a companhia em comunicado.

As exportações nas docas paulistas representaram números significativos e totalizaram 28,6 milhões toneladas. O resultado demonstra um crescimento de 18,6%, em relação ao primeiro semestre de 2008, como destaque aos produtos agrícolas e os granéis líquidos. Por outro lado, as importações recuaram 25,5% no consolidado.

Com o salto na movimentação de cargas, o número de navios atracados também subiu, passando de 2,86 mil navios, contra os 2,82 mil do ano passado – outro recorde de unidade portuária.

Polêmica

A polêmica em relação ao lixo inglês que foi recebido no País de continuar, mas 40 contêineres, importados como polímeros de etileno para reciclagem, embarcaram de volta no Porto do Rio Grande, rumo à Europa, no navio MSC Oriane, ontem.

A operação de embarque das unidades começou no último sábado, terminando no último domingo, quando as condições do tempo não foram favoráveis a partida embarcação. No mesmo navio, seguiram outros 800 contêineres de carga geral.

O MSC fará ainda uma parada no Porto de Santos, para receber outros 41 contêineres com lixo inglês. Porém uma nova operação será necessária para devolver outras 150 toneladas de lixo que se encontram na Estação Aduaneira de Caxias do Sul. Ao todo foram recebidos 89 unidades com lixo no País.

COMMENTS