Trecho da CE-253 está em condições precárias

Se a rodovia que liga a cidade de Mucambo à Serra da Ibiapaba já era perigosa devido às inúmeras curvas sinuosas e pela falta de acostamento, o mesmo trecho de apenas 11km que separa as duas cidades, Mucambo e Ibiapina

Caminhoneiros dirigem mais de 16 horas ao dia
Duplicação de trecho da rodovia liberado
Alívio para o tráfego (CE)

Se a rodovia que liga a cidade de Mucambo (CE) à Serra da Ibiapaba já era perigosa devido às inúmeras curvas sinuosas e pela falta de acostamento, o mesmo trecho de apenas 11km que separa as duas cidades, Mucambo e Ibiapina, após a quadra invernosa ficou ainda mais perigoso e difícil para o tráfego. As chuvas que caíram no início de maio causaram estragos em diversos pontos da CE-253, também conhecida como Rodovia Pedro Aragão, o que provocou a interrupção de passagem de veículos de médio porte. Quem se arrisca a passar teme que o pior aconteça, como deslizamento de rochas que formam um paredão nas encostas de aproximadamente 50 metros de altura.

“Existe, em um dos trechos, uma pedra gigante que a população tentou destruir, mas o pessoal de Departamento de Estradas e Rodovias (DER) impediu. O motivo foi temendo acidente com a explosão do bloco de pedra”, comentou o agricultor José Augusto Ibiapina, 75 anos. Augusto informou que o tráfego mais intenso é o de motocicletas.

Em outro trecho da mesma rodovia a destruição foi tão forte que boa parte da grade de proteção foi levada pela força do desmoronamento e da queda das pedras. Neste ponto ainda existe uma pequena cachoeira descendo pela pista. “Apesar do risco, prefiro trafegar por esse trecho. Por Tianguá, o percurso aumenta em mais de 100 quilômetros”, disse Francisco Francelino, que viajava em uma motocicleta com toda a família. “Aqui praticamente mudou nossa rotina, os carros que descem para a feira de Mucambo não passam mais por aqui”, lamenta o morador da localidade, José Lino Ferreira.

Ele informou que até o abastecimento d’água foi também comprometido com a precariedade da pista. “Até a qualidade da água da adutora mudou, água tem um cheiro horrível”, ressalta o morador.

Sobre a situação da CE-253, o Departamento de Edificações e Rodovias (DER) informou que o trecho entre Mucambo e Ibiapina será contemplado com o programa de recuperação de rodovias, lançado recentemente pelo Governo do Estado do Ceará. A estimativa é que o serviço de recuperação da estrada seja iniciado no próximo mês.

As ações do Programa de Recuperação das Estradas Estaduais (Pro Estradas), lançado pelo governo, promete investir R$ 72,5 milhões na recuperação dos trechos danificados pelas chuvas. Deste total, R$ 11,4 milhões referem-se a contratos de conserva já existentes, e mais R$ 27,1 milhões do Ministério da Integração e R$ 34 milhões de recursos próprios do Estado. A ação abrangerá 284 trechos que serão trabalhados pelos dez Distritos Operacionais do DER.

A execução das obras será realizada pelos dez Distritos Operacionais do DER. A prioridade será para as vias que apresentam maior fluxo de veículos, turísticas e de escoamento de produção.

Foram definidas três ordens de atuação: curtíssimo prazo, que deverão estar concluídas em 100 dias; de curto prazo, com prazo de 150 dias e as de médio prazo, com previsão para conclusão em 240 dias. A rodovia estadual, que liga o município de Ibiapina a Mucambo foi denominada de Rodovia Pedro Aragão, em 3 de novembro de 1997, pelo decreto lei aprovado pela Assembléia Legislativa do Ceará.

COMMENTS