Rota reforça logística ao turismo e negócios

Os jatos Embraer 175 da Trip encurtam a distância de Mato Grosso ao Caribe e aos Estados Unidos. Los Angeles está a quatro horas e meia de Manaus ou a seis horas e meia de Cuiabá

Requião autoriza mais R$ 29,3 milhões para pavimentação da Estrada do Cerne (PR)
Projeto que regulamenta atividade de mototaxista pode ser votado no Congresso
Porto de Paranaguá amplia espaço para armazenar carnes congeladas

No voo inaugural o céu de brigadeiro sobre as imensas figuras geométricas formadas pela moderna agricultura mato-grossense se manteve quando a paisagem foi tomada pelo verde sem fim da maior floresta do mundo. Carreiras laterais de poltronas com dois assentos, com um largo e alto corredor ao meio acomodavam muito bem os 86 passageiros que ocupavam todos os lugares da aeronave. A ausência do chato e inconveniente terceiro assento – que fica entre a poltrona do corredor e a da janela, não é o único indicativo prático de conforto. Além dele, o espaçamento indiano entre as poltronas (leg room, em inglês) permite até mesmo aos ‘varapaus’ esticar as pernas.

Os jatos Embraer 175 da Trip encurtam a distância de Mato Grosso ao Caribe e aos Estados Unidos. Los Angeles está a quatro horas e meia de Manaus ou a seis horas e meia de Cuiabá. Ainda não há convergência para conexão rápida para as Américas do Norte e Central, no Amazonas, mas isso acontecerá “naturalmente”, observa Caprioli. Em outras palavras, em breve a nova rota deslocará o fluxo turístico para um caminho mais curto, mais econômico e consequentemente mais rápido.

Manaus tem um milhão e seiscentos e cinquenta mil habitantes e excluindo o peixe, mandioca, verduras, frutas e legumes, a base da alimentação dessa população é garantida por Mato Grosso.

Em Manaus predominam as marcas alimentícias mato-grossenses. As gôndolas dos supermercados e mercearias expõem açúcar de Nova Olímpia e Barra do Bugres, leite longa vida e lácteos de Araputanga e Juscimeira, ovos de Campo Verde, frangos e pedaços e aves de Tangará da Serra, Várzea Grande, Nova Mutum e Sorriso, arroz de Sinop e Várzea Grande, refrigerantes de Várzea Grande, óleo de soja de Rondonópolis e Primavera do Leste, cerveja de Rondonópolis, carne suína de Nova Mutum, carne bovina de Araputanga, Cáceres, Rondonópolis, Alta Floresta e Colíder, palmito de Cotriguaçu e inúmeros outros produtos.

O mercado manauara exige permanentemente a presença de representantes comerciais mato-grossenses, o que significa ocupação de assentos da Trip. Motos e eletroeletrônicos produzidos na Zona Franca de Manaus se espalham Brasil afora, sem excluir Cuiabá, o que garante mais passageiros na nova rota.

A exemplo do comércio, o turismo também tem clientela cativa nessa rota que se inicia. Mas, existe outro nicho a ser explorado: Cuiabá é importante centro nacional de medicina de especialidades, principalmente em cardiologia, reprodução humana e oftalmologia. Os aviões dos voos regionais da Trip no Amazonas certamente se transformarão em alimentadores dessa rota interestadual com pessoas que buscarão atendimento médico em Cuiabá.

COMMENTS