Projeto de duplicação da 381 deve ser assinado esta semana

Enquanto os trâmites burocráticos se arrastam, prosseguem as manifestações exigindo a duplicação da 381

Empresas vão perder mais de US$ 2,5 bi em 2009
Tegma faz ajustes e diversifica para crescer
Governo e produtores discutem recuperação de rodovias (MS)

A duplicação do trecho da BR-381 entre Belo Horizonte e Governador Valadares virou uma arrastada novela. O próximo capítulo deve ir ao ar nesta semana, com a assinatura do contrato do projeto executivo da obra. O estudo, orçado em R$ 23 milhões, será realizado pelas seis empresas que ganharam a licitação. Elas têm de oito a dez meses para finalizar as apurações em cada um dos trechos da rodovia. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) prevê o início das obras apenas para o segundo semestre do ano que vem. O projeto total seria concluído até 2013.

Enquanto os trâmites burocráticos se arrastam, prosseguem as manifestações exigindo a duplicação da 381. Ontem, cerca de 200 pessoas do movimento “BR-381 Duplicação Já!” realizaram um protesto na altura do trecho de Caeté. Parentes e amigos de vítimas de acidentes na chamada Rodovia da Morte paralisaram os dois sentidos da via, impedindo os veículos de passarem.

Os protestos ocorrem desde o dia 11 de março, quando um caminhão na contramão atingiu uma van escolar em uma curva da rodovia, causando a morte de seis pessoas. Foi a quinta mobilização neste ano.

O coordenador do movimento, Fernando Caetano Fonseca, disse que falta vontade política para realizar a duplicação. “Há dois meses estivemos em Brasília, onde fomos recebidos pelo vice-presidente da República, José Alencar, e pelo ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento. Prometeram radares, sinalização, redutores de velocidade, iluminação, balanças e patrulhamento ostensivo, mas nada foi feito”, relatou o coordenador.

Imbróglio – Um impasse entre dois órgãos do governo federal contribui para o travamento das obras. O Dnit e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) montaram dois projetos diferentes para a 381. Enquanto o primeiro quer a duplicação da rodovia, o segundo prevê à concessão à iniciativa privada (veja quadro) “O recurso para a realização das obras já está disponibilizado, mas enquanto o imbróglio no governo continuar, não teremos uma ação definitiva”, destacou Fonseca.

Enquanto o Dnit está na fase de assinatura do projeto executivo, o processo de terceirização movido pela ANTT encontra-se sob avaliação do Tribunal de Contas da União (TCU), que verifica possíveis irregularidades nos custos. A ANTT não pode dar prosseguimento sem o aval do TCU. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Educação de Trânsito (Abetran), George José Marques da Silva, o processo de duplicação da BR-381 é reivindicado efetivamente há mais de oito anos. Mas ele ressalta: “Somente uma evolução nos parâmetros educacionais será capaz de provocar transformação das alarmantes estatísticas de acidentes de trânsito em nosso país.”

Mais protestos – Planejamento. Os manifestantes anunciam que ainda este mês pretendem realizar um mega protesto em frente à sede do Dnit em Belo Horizonte. No dia 6 de agosto, está prevista uma paralisação em Itabira.

Flash – Radares. Na próxima semana, o Dnit começa a instalar os 28 radares prometidos para as BRs em Minas – 13 deles na 381. Na semana passada, técnicos e engenheiros estiveram nas BRs 040, 381 e 356 e no Anel Rodoviário para realizar testes nos equipamentos.

COMMENTS