Preço do diesel tem redução, mas não afeta valor do frete

Com isso, representantes do setor de transporte de cargas alegam que esse percentual é insuficiente para uma redução no preço do frete rodoviário

Azul em momento de transpiração
Paraná tem a menor carga tributária do país, indica Secretaria da Fazenda
Canhedo tenta salvar seu grupo da falência da Vasp

A propagada redução de 9,6% no preço do óleo diesel, anunciada pela Petrobras, ainda não refletiu na ponta do consumo. Levantamento da Associação Nacional de Transportadores de Cargas (NTC&Logística) mostra que de 31 de maio a quatro de julho, a queda nos valores cobrados pelos postos do país foi de 4,7%.

Com isso, representantes do setor de transporte de cargas alegam que esse percentual é insuficiente para uma redução no preço do frete rodoviário. O presidente da NTC&Logística, Flávio Benatti, afirmou que mesmo com essa queda anunciada pela Petrobras ocorreu aumento de outros índices que compõem o preço do frete, como, por exemplo, reajuste em maio na folha de salário. “O setor apresentou em maio uma necessidade de reposição de 7,6% e isso não foi feito. Além do custo do combustível, todos os produtos que compõem o frete tiveram reajuste”, afirmou Benatti.

O dirigente ressaltou que essa redução no preço para as refinarias não ocorria há muito tempo. “Mas, a queda no preço não foi real. Não compramos o diesel no valor previsto pela Petrobras. Esse percentual de 9,6% é somente discurso”, disse.

Um levantamento realizado pelo Minaspetro, sindicato que congrega os revendedores de Minas Gerais, apontou que mesmo na refinaria da Petrobras a queda no preço do diesel chegou a 8,08%. Em distribuidoras sem bandeira a redução foi de 7,26%. “É importante ressaltar que as distribuidoras repassam o percentual que elas julgam ideal, por isso, o preço na ponta do consumo não é o alardeado pelo governo”, afirmou o presidente do Minaspetro, Sérgio de Mattos.

Os representantes dos transportadores ressaltam, no entanto, que a redução, por menor que seja, será incorporada no custo do transporte no país. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Transporte de Cargas, Nilton Gibson, as transportadoras terão uma queda nas despesas em torno de 2,18% numa viagem de até 500 quilômetros. No transporte de carga fracionada esse percentual cai para 0,76%. “Isso ainda é pouco se comparado ao aumento dos custos que observamos nos últimos anos”, afirmou Gibson.

Mais caro – Mistura. Com a adição de mais 1% de biodiesel na composição do diesel mineral, o preço do litro do combustível poderá ficar até R$ 0,02 mais caro nas bombas das revendas brasileiras.

COMMENTS