Começa hoje obra na BR-116

Agora, além de restauração, o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transporte (Dnit) irá substituir toda pavimentação existente na BR-116

SP planeja privatizar Rio-Santos e Tamoios
Vistoria de rodovias privatizadas deve ser concluída esta semana
Ministro visita portos danificados pela chuva em Santa Catarina

As obras de restauração da BR-116, na extensão que vai do quilômetro zero ao quilômetro doze, começarão hoje, ainda pela manhã, e estão orçadas em 60 milhões de reais. O trecho da rodovia foi duplicado em 1980 para a primeira visita do Papa João Paulo II ao Ceará e desde aquela data, há 29 anos, só foram efetuados serviços de manutenção.

Agora, além de restauração, o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transporte (Dnit) irá substituir toda pavimentação existente na BR-116.

Com a finalidade de oferecer mais explicações sobre a obra, o superintendente do Dnit no Ceará, Joaquim Guedes Martins Neto, concederá entrevista coletiva à imprensa às 10 horas da manhã de hoje, no prédio do Departamento.

Segundo ele, o projeto prevê a conclusão de três viadutos que não foram finalizados em 1980. São eles: o viaduto de acesso ao Cambeba; o de acesso Leste à Messejana e o de acesso às avenidas Presidente Costa e Silva e Jornalista Thomas Coelho.

Mudanças

Além do restauro da pavimentação, que além do desgasto natural do tempo e do uso apresenta crateras em alguns pontos da via em virtude das fortes chuvas deste ano, o Dnit anuncia, ainda, a construção de pista lateral do Km 06 ao Km 12. Joaquim Guedes Martins Neto explicou, ontem, que também será assinada ordem de serviço prevendo a construção de passarela na BR-116 na localidade de Jabuti.

Uma das vias de acesso à Fortaleza de maior importância para a economia do Estado, a BR-116 apresenta tráfego intenso de veículos pequenos, ônibus e de caminhões de carga. No fim do ano passado, a última obra significativa na rodovia foi concluída.

Na ocasião, após muitos contratempos e embargos, o Dnit terminou a duplicação da via, entre os quilômetros 12 e 53. Os trabalhos incluíram, ainda, a sinalização, os canteiros centrais e as chamadas obras de arte, como a efetivação do meio-fio e da drenagem, dentre outros serviços.

Foram 11 anos de atraso devido a vários fatores, justificou o superintendente, ressaltando na ocasião que os motoristas que seguem no trecho entre Fortaleza e o município de Pacajus não teriam mais desvios e obras no asfalto, que enfrentavam na travessia.

RECURSO

60 milhões de reais é o orçamento previsto para a restauração da BR-116, na extensão que vai do quilômetro zero ao quilômetro doze.

COMMENTS