25 bafômetros estão parados em Brasília

O secretário adjunto da pasta no Ceará, Nival Freire, afirma que os novos bafômetros não foram esquecidos nos armazéns do Ministério da Justiça, como divulgado pela mídia

Estaleiro já leva riquezas ao Nordeste
Carrefour e Renner aquecem disputa pela venda eletrônica
Banco próprio faz Volvo ampliar suas vendas no mercado nacional

O Ceará é um dos oito estados que não retiraram os 25 bafômetros comprados pela União, de um lote com 205 aparelhos para serem distribuídos. Desde o mês passado, os equipamentos estão guardados, à disposição das secretarias de Segurança Pública.

O secretário adjunto da pasta no Ceará, Nival Freire, afirma que os novos bafômetros não foram esquecidos nos armazéns do Ministério da Justiça, como divulgado pela mídia. “Estamos analisando a melhor forma de trazer os equipamentos para o Estado”, esclarece o secretário adjunto.

Segundo ele, os novos bafômetros devem chegar ao Ceará no prazo de uma semana a dez dias, no máximo, após ter mantido contato com o capitão Borri, responsável pelo estoque de material da Força Nacional. Nival Freire faz questão de ressaltar que, “em nenhum momento, as blitze de trânsito em Fortaleza, na Região Metropolitana e nas cidades do Interior do Estado deixaram de acontecer porque os bafômetros continuavam em Brasília”.

No lote que o Ministério da Justiça está liberando, Freire explica que o kit é composto por 25 bafômetros, cada um contendo 2.500 “pipetas” (bocal descartável, usado pelo motorista para fazer o teste). O secretário adjunto ainda não decidiu como será trazido os novos equipamentos. “No momento, estamos avaliando se é mais econômico a vinda do material por terra, através da contratação de uma transportadora, ou pelos Correios. “A princípio, os kits irão para a Companhia de Policiamento Rodoviário (CPRV)”, adianta.

Após os Jogos Pan-americanos, em março deste ano, recorda Nival freire, o Ceará foi beneficiado com 168 pistolas ponto 40, duas viaturas Nissan, 100 coletes balísticos e 42 mil cartuchos de todos os tipos de calibres, entre outros equipamentos de segurança. “Era um estoque mais volumoso do que os bafômetros e se pegou. Portanto, não houve um esquecimento do material nos armazéns em Brasília. Não tem nem 30 dias da liberação desse material para nós. Estamos dentro do prazo razoável, se não tivesse, eu diria”, justifica o secretário adjunto da SSP-CE.

Nival Freire comenta, ainda, os resultados do primeiro ano da Lei Seca no País, que ele considera extremamente positivos. “A lei não proíbe que ninguém beba, e sim que não se dirija embriagado”, enfatiza. Para ele, vidas estão deixando de serem ceifadas.

Segundo ele, mesmo pessoas de bem, quando bebem e estão ao volante, perdem o reflexo e cometem excessos de velocidade, cortam sinais, atropelam pessoas ou provocam acidentes com outros veículos. “A Lei Seca veio para beneficiar a vida, diminuindo as mortes e as mutilações provocadas por motoristas alcoolizados”, pondera.

Para as pessoas que gostam de beber, Nival Freire disse que essas pessoas buscam alternativas na hora de sair de casa para as baladas. “Contratam pessoas para dirigir o carro, vão de táxi ou uma pessoa da turma fica sem beber para dirigir”, acrescenta o secretário adjunto.

Além do Ceará, os estados que ainda não providenciaram a retirada dos aparelhos são Acre, Amazonas, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio Grande do Norte e Sergipe. Cada bafômetro, comprado por meio de licitação internacional, custou R$ 7.500. Os estados recebem o aparelho gratuitamente, mas precisam desembolsar o valor do frete. O Ministério da Justiça informou que deram as justificativas mais variadas para o atraso na retirada dos kits. O secretário executivo da pasta, Luiz Barreto, espera que os estados retirem o material e coloque-o em uso nas ruas.

Uso de álcool – Detran multa 8.472 motoristas no 1º ano da Lei Seca. Com a Lei Seca, 8.472 motoristas cearenses já foram multados após fazerem o teste do bafômetro e ficar constatado que estavam dirigindo alcoolizados. Os números compreendem ao período de 20 de junho do ano passado, quando a lei entrou em vigor, até 5 de julho, segundo a assessoria de imprensa do Departamento de Trânsito (Detran-CE).

As equipes de fiscalização do Detran realizam blitze semanais em Fortaleza, na Região Metropolitana e em cidades do Interior do Estado, totalizando cerca de 20 localidades.

Mais de 170 cidades já foram fiscalizadas pelo órgão. A cada semana, são realizados 2.500 testes de bafômetro. Atualmente, o Detran dispõe de 66 equipamentos para aplicar o teste com motoristas.

Ainda segundo o Detran, no primeiro fim de semana deste mês, foram multados 246 motoristas alcoolizados, com base na Lei Seca, na Capital e Interior cearense. Foram realizadas 42 operações e 2.100 exames com bafômetro. No acumulado desde a vigência da Lei Seca, somente este ano 7.076 condutores receberam multas.

De acordo com a Lei 11.705, o motorista que dirigir alcoolizado, além de ser autuado, terá de responder a processo administrativo no Detran e pagar multa no valor de R$ 957,50. Também terá suspensa por um ano sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A autuação ocorre quando o bafômetro acusa de 0,11 a 0,29 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões.

COMMENTS