Condutor poderá pagar IPVA na blitz e com cartão

"Vamos dar a opção ao motorista, até porque nosso interesse não é levar o carro para o pátio, mas resolver a situação", alega o diretor de Habilitação e Veículos, Álvaro Roberto Vieira de Assis

Indústria de SC busca saídas
Azul fará voos fretados para a Argentina
Locação de armazéns ainda cresce no Sul

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do Espírito Santo também pretende, com o novo sistema, reduzir a inadimplência e, de quebra, a superlotação de veículos nos pátios do órgão. Por isso traz outra proposta: o condutor que for parado numa blitz e estiver devendo o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) poderá pagar a quantia na hora, com cartão de crédito.

“Vamos dar a opção ao motorista, até porque nosso interesse não é levar o carro para o pátio, mas resolver a situação”, alega o diretor de Habilitação e Veículos, Álvaro Roberto Vieira de Assis. Segundo ele, serão disponibilizadas máquinas de cartão de crédito aos policiais.

Definição – “Não definimos como vai funcionar. Nem que cartões serão aceitos. Mas o interessante é que o condutor terá a oportunidade de pagar a taxa do imposto na hora, e não ser penalizado, ou, além de levar a multa, pagar pelo reboque e a diária do pátio”, frisa Álvaro Roberto Vieira de Assis, diretor de Habilitação e Veículos do Detran.

Além da máquina de cartão e do palm top, alguns policiais ainda devem receber nas próximas semanas uma impressora portátil para a impressão de multas durante as blitze de trânsito, caso seja necessário.

“O Código de Trânsito determina reter a carteira nos casos de suspensão ou cassação da CNH. Mas cabe ao motorista entregar a documentação. Ou seja, ele não é obrigado a fazer isso. Não pode ser forçado. Se for parado em uma blitz e não entregar a carteira vai levar, apenas, mais uma multa”

Faça as contas – Para a carteira ser suspensa, o motorista tem de somar 20 pontos de infrações num período de 12 meses.

Leves – Infrações menos graves, como usar farol alto em ruas com iluminação pública, estacionar afastado da calçada de 50 centímetros a um metro e conduzir o veículo sem os documentos exigidos pelo Código de Trânsito. Três pontos.

Médias – Dirigir com fone de ouvido ou falando ao telefone celular, atirar lixo na rua de dentro do carro, parar por falta de combustível, deixar de registrar o veículo dentro de 30 dias e dirigir o veículo com o braço de fora, por exemplo. Quatro pontos.

Graves – Trocar de faixa sem sinalizar; estacionar na calçada ou sobre faixa de pedestre, canteiros, gramados e jardins; estacionar em fila dupla; não usar o cinto de segurança e, até, conduzir o veículo sob chuva sem ligar o limpador de parabrisa. Cinco pontos.

Gravíssimas – Dirigir com carteira vencida há mais de 30 dias, transitar na contramão em rua de sentido único ou em calçadas, canteiros e acostamentos; retornar em local proibido; avançar sinal vermelho; não prestar socorro a vítimas de acidente; deixar de dar preferência a pedestre que esteja na faixa, entre outros. Sete pontos.

Suspensão Automática – No caso de o condutor cometer algumas infrações gravíssimas, como dirigir sob a influência do álcool, participar de racha ou pega e conduzir o veículo com velocidade acima de 50% da máxima permitida na via Punição: de um a 12 meses sem carteira.

COMMENTS