Tecon fez investimento de R$ 20 milhões

As melhorias serão inauguradas, oficialmente, pela presidente da Filipinas, Gloria Arroyo, que virá ao País para fazer uma visita oficial ao presidente Lula, no Rio de Janeiro

Para especialistas, crise financeira não afetará diretamente o setor de biocombustíveis
Transferência de vôos para o Santos-Dumont é tema de debate
Pirelli põe 2.500 pessoas em férias coletivas

O Terminal de Contêineres do Porto de Suape (Tecon-Suape) concluiu um investimento de R$ 20 milhões, aumentando o seu pátio para armazenar contêineres e comprando alguns equipamentos – como empilhadeiras, caminhões – que serão usados na movimentação de carga no pátio.

As melhorias serão inauguradas, oficialmente, pela presidente da Filipinas, Gloria Arroyo, que virá ao País para fazer uma visita oficial ao presidente Lula, no Rio de Janeiro. Antes do encontro com o presidente, ela chega ao Recife no dia 22 de junho, janta à noite com o governador Eduardo Campos (PSB) e no dia 23 participa do evento no Tecon.

A empresa que explora a concessão do Tecon-Suape é a International Container Terminal Service Inc. (ICTSI), de origem filipina. O Tecon-Suape é o maior investimento filipino feito no Brasil, segundo informações do governo do Estado.

Com a expansão, a área de armazenagem do Tecon saiu de 230 mil metros quadrados para 300 mil metros quadrados, atingindo todo o terreno previsto na primeira fase do empreendimento. As obras foram iniciadas em novembro e estão sendo encerradas este mês.

“Os equipamentos estão chegando e a nossa expectativa é que haja uma movimentação maior de carga no segundo semestre”, comentou o presidente do Tecon-Suape, Sérgio Kano. Nos quatro primeiros meses deste ano, a movimentação de carga caiu 15% no Tecon-Suape devido à crise global, que provocou uma queda na atividade econômica de vários países do mundo, sendo maior nos países desenvolvidos.

“As exportações estavam crescendo muito nos últimos três anos. Depois da crise, caíram as exportações e as importações caíram muito mais”, afirmou Kano.

As exportações caíram porque muitas empresas nos Estados Unidos e Europa deixaram de fazer suas encomendas devido à turbulência econômica. O Porto de Suape sempre foi tradicionalmente importador e as compras feitas ao exterior diminuíram porque ocorreu uma redução do consumo. A movimentação de cargas caiu, em todo o mundo, devido aos problemas provocados pela crise, como a falta de crédito, queda na atividade econômica etc.

HISTÓRICO

A empresa filipina venceu a licitação, em 2001, para operar o Tecon-Suape por um período de 30 anos. As operações de movimentação de carga começaram em 2002. Desde 2003, a movimentação de contêineres só fez aumentar no Porto de Suape.

No ano passado, o Tecon-Suape cresceu mais que 21% com uma movimentação de 294,5 mil TEUs (unidade que corresponde a um contêiner de 20 pés), contra os 241,6 mil TEUs que passaram por lá em 2007.

COMMENTS