Tarifa portuária pode subir no Ceará

"As tarifas estão sendo discutidas internamente, para depois serem apresentadas ao Conselho de Administração", explicou o diretor

Seminário no Rio Grande do Sul debate sistema logístico do Estado
Preço de passagem sobe 36,15% até novembro
Vale anuncia encomenda de 12 gigantes graneleiros

Com crescimento das despesas em 15% e das receitas em torno de 12%, a Ceará Portos já estuda a possibilidade de aumento das tarifas do terminal do Pecém, a partir de maio próximo. Uma das finalidades do reajuste seria a correção de defasagem tarifária de 17%, acumulada desde abril de 2007, e redução dos impactos no caixa da gestora do porto, decorrentes da queda de 10% no fluxo de cargas no terminal do Pecém, no 1º trimestre deste ano, em relação a igual período de 2008. ´De janeiro a março último, foram transportadas através do Pecém, 28 mil teus, contra 31 mil teus no primeiro de 2008´, informou ontem, o diretor de Desenvolvimento Comercial da Ceará Portos, Mário Lima Júnior, ao confirmar o início dos estudos para a elevação das tarifas.

“As tarifas estão sendo discutidas internamente, para depois serem apresentadas ao Conselho de Administração”, explicou o diretor.

Questionado sobre a possibilidade de reajuste, em meio ao atual período de redução nas exportações, o governador Cid Gomes disse que o Porto do Pecém vem, desde setembro de 2007, mantendo-se superavitário, mas nada o impede de rever custos. ´Essa questão deve ser técnica. O que defendo é que isso seja sempre tratado de forma profissional e transparente, mostrando o que justifica (o aumento) e os itens que mais subiram, para que seja avaliada a necessidade´. Cid reconhece que elevar tarifas neste momento pode inibir as exportações, mas avalia que, a exemplo das demais empresas, o porto deve buscar se manter superavitário. ´Se todo ano tem reajuste de salários e de tarifas, é natural que as empresas também reajustem seus preços´, ponderou o governador.

Praia Mansa

Cid Gomes revelou que já pediu, formalmente, à União a transferência da área da Praia Mansa, no Mucuripe, da União para o Estado, para começar a definir um projeto para a área.

“Essa é uma área muito nobre, que eu particularmente defendo que nunca venha a se transformar em um pátio de contêineres”, defende Cid Gomes. Para ele, a Praia Mansa também não pode ser transformada em área hoteleira, mas em “local de lazer, um parque com acesso às pessoas, para que possam vislumbrar o visual de uma das áreas mais belas de Fortaleza”, assinalou.

COMMENTS