Júlio Simões Logística assume operações para o setor sucroalcooleiro

Para 2009, a expectativa do grupo é aumentar em 15% a receita, apesar da turbulência econômica

Pedágio em Porto Belo (SC) faz aumentar movimento na Estrada Geral de Santa Luzia
Aéreas veem em manutenção possibilidade de gerar receita
CI aprova proposta que limita a necessidade de aprovação pelo Senado de dirigentes de autarquias, agências reguladoras e fundações

Mesmo pressionadas pela atual defasagem no preço do frete que tem apertado os custos do setor rodoviário de cargas, grandes empresas do segmento anunciam novos negócios este ano, como a Júlio Simões Logística, que inicia novas frentes de atuação em 2009. Elas devem contribuir com o crescimento do Grupo Júlio Simões, que ano passado faturou R$ 2,3 bilhões e observou uma taxa média de 37% de incremento nos últimos cinco anos. Para 2009, a expectativa do grupo é aumentar em 15% a receita, apesar da turbulência econômica.

Irecê de Andrade, diretora da Julio Simões Logística contou que a empresa começa a atender operações logísticas do setor sucroalcooleiro, ao atender clientes com a Cosan e a Brenco. “Este é um dos setores que estão aquecidos e vai contribuir com o crescimento da empresa este ano”, concluiu a executiva.

Outro projeto em que a empresa também passa a atuar é a logística da nova fábrica da Votorantim Celulose e Papel (VCP) em Três Lagoas (MS). Além disso, a Júlio Simões deve inaugurar, até a metade do ano, um terminal intermodal em Itaquá (SP), ao lado da Rodovia Ayrton Senna e próximo da malha ferroviária de MRS Logística. “Para essa unidade, temos dois clientes fechados, mas não posso revelar os nomes: digo apenas que um deles é do setor siderúrgico”, ponderou Irecê, durante a Intermodal South América, feira do setor de logística que foi até ontem na capital paulista.

O Grupo Júlio Simões atua também no setor de revendas de veículos – ao todo, são 21 da marca Volkswagen. Outro segmento de atuação é a terceirização de frotas, até sem serviços de limpeza urbana. A companhia cuida de frotas como as da Polícia Militar do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e da Bahia, e da Guarda Metropolitana de São Paulo. Em outros segmentos atende ainda clientes como Suzano, Aracruz, MMX, Vale, Cummins e General Motors.

América do Sul

O Expresso Araçatuba, especializado no transporte rodoviário de cargas para o centro-oeste e o norte do Brasil, abre novas opções para a América do Sul e inicia rota para a Bolívia. Outro foco de ampliação da empresa é o Chile: a empresa viu, nos primeiro três meses de 2009, os transportes para aquele país representarem 25% do faturamento da divisão internacional, contra 2% em 2008.

Link para a matéria

COMMENTS