Iraque vai investir US$ 3,7 bilhões em porto

O governo do país assinou acordo com um consórcio italiano para a construção de um novo terminal marítimo no Golfo, próximo da cidade de Basra

Ford tenta vender Volvo por R$ 6 bi e fazer caixa
Governo vai investir mais R$ 14 milhões na duplicação da Rodovia da Uva na RMC (PR)
Governo do Estado termina as obras de recuperação do aeroporto de Ibaiti

O governo do Iraque assinou um acordo com um consórcio italiano para a construção de um porto no Golfo, segundo informações da Agência France Presse (AFP). O investimento no projeto será de 2,8 bilhões de euros (US$ 3,7 bilhões), de acordo com o ministro dos Transportes, Amer Abduljabbar Ismail. Ele disse que o “Porto da Grande Faw” ficará na península de Faw, próximo à cidade de Basra.

“O projeto proposto, orçado em 2,8 bilhões de euros, foi aprovado para um consórcio de empresas italianas que vão construí-lo em parceria com o departamento de projetos do nosso ministério”, disse o ministro, segundo a AFP. No local onde será construído o novo terminal existe hoje um pequeno porto pesqueiro. O prazo de entrega da obra é de três anos, mas uma data específica não foi informada.

O Iraque, de acordo com a AFP, tem quatro portos, sendo que o maior é o de Umm Qasr. Ainda segundo a agência, forças iraquianas lançaram grandes operações militares em Basra na primavera de 2008 para expulsar da região milícias xiitas que tomaram o porto após a invasão norte-americana de 2003, que derrubou o governo de Saddam Hussein.

Segundo o World Factbook da Central de Inteligência Americana, os principais produtos exportados pelos portos iraquianos são petróleo (responsável por 84% da pauta), outras matérias-primas, além de alimentos e animais vivos (5%).

Os principais parceiros econômicos do Iraque são os Estados Unidos, Itália, Coréia do Sul, Taiwan, Espanha, Canadá, França e Países Baixos, como compradores; e Síria, Turquia, Estados Unidos, Jordânia e China como fornecedores. Em 2008 o país exportou o equivalente a US$ 66,1 bilhões e importou US$ 43,5 bilhões, o que resultou em um superávit comercial de US$ 22,6 bilhões.

No ano passado, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o Brasil vendeu ao país árabe um total de US$ 106,6 milhões e comprou do país US$ 1,186 bilhão, o que resultou em um déficit comercial de US$ 1,079 bilhão para o Brasil. Os principais produtos exportados pelo Brasil foram carnes, miúdos e açúcar. Já os únicos dois produtos iraquianos adquiridos pelo Brasil foram petróleo e enxofre.

Link para a matéria

COMMENTS