Governo quer elevar tributo sobre gasolina

Estudo realizado pela área técnica do Ministério da Fazenda propõe que a Petrobras reduza o preço dos combustíveis vendidos às refinarias, mas a queda na gasolina não chegaria ao consumidor

Carga nacional garante aumento de movimentação de Guarulhos no último ano
Código de Trânsito faz 11 anos, mas ainda precisa de adequações, indica Denatran
CNPE aprova aumento para 4% da mistura de biodiesel no diesel

Um ano depois de reduzir a Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico (Cide) para evitar um reajuste do preço dos combustíveis na bomba, o governo estuda elevar o tributo para reforçar a arrecadação federal que está em queda deste o início do ano.

Estudo realizado pela área técnica do Ministério da Fazenda propõe que a Petrobras reduza o preço dos combustíveis vendidos às refinarias, mas a queda na gasolina não chegaria ao consumidor. Ficaria nos cofres públicos por meio do aumento do recolhimento da Cide. Para o diesel, o governo ainda discute uma estratégia. Há a possibilidade de repassar aos consumidores parte da queda dos preços para as refinarias.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse ontem que o estudo deverá ser concluído em três ou quatro meses. Lobão explicou que a elevação da Cide é apenas uma das alternativas em estudo, mas deixou claro que defende uma posição contrária à da equipe econômica. Ele defendeu a tese de que uma eventual redução nos preços do óleo diesel e da gasolina seja repassada ao consumidor. “A ideia é repassar para o consumidor sim”, afirmou. “Isso faz parte do estudo, mas não quer dizer que seja uma medida vitoriosa”.

Outra variável que está sendo considerada é a competitividade do álcool em relação à gasolina. Se houver uma queda no preço da gasolina, o governo teme uma redução da procura por álcool. O setor já reclama da queda dos preços do produto provocada pelo início da safra de cana.

COMMENTS