Carga congelada cresce 18,55% em Paranaguá

Investimentos de R$ 345 milhões em dez anos contribuíram para tornar o TCP em um dos mais bem equipados e eficientes terminais de contêineres do País

TomTom, gigante do GPS, chega ao país
Para UPS, setor de cargas está imune à crise
Obras atrasadas na capital paulista

O movimento de cargas conteinerizadas aumentou 5,2% em 2008 no Terminal de Contêineres do porto paranaense de Paranaguá (TCP), mas um dos principais motivos para este crescimento foi a movimentação de contêineres reefers ( modelos utilizados mais para cargas resfriadas ou congeladas), que cresceu 18,55%, saltando de 50 mil unidades em 2007 para 59 mil unidades em 2008. “Em 2008, houve este aumento e, no primeiro trimestre deste ano, conquistamos a posição de maior exportador de congelados do Brasil, segundo dados do Ministério da Agricultura”, informa Juarez Moraes e Silva, diretor superintendente.

Investimentos de R$ 345 milhões em dez anos contribuíram para tornar o TCP em um dos mais bem equipados e eficientes terminais de contêineres do País. Os resultados da aplicação dos recursos impactaram diretamente na produtividade, que passou de oito movimentos de contêineres por hora por guindaste de bordo, na década de 90, para mais de 30 contêineres movimentados por hora por portêiner; ou no aumento da movimentação total de contêineres, que passou de 180 mil TEUs (medida que equivale a um contêiner de 20 pés) no primeiro ano de operação para 600 mil TEUs em 2008. No mês passado, o TCP chegou a marca de 5 mil navios operados.

Para atender o aumento na demanda dos embarques de carnes congeladas (aves, bovinos e suínos), o terminal vem investindo em uma série de melhorias na infra-estrutura logística e na aquisição de novos equipamentos. Em 2007, adquiriu uma subestação elétrica com 600 tomadas. Em 2008, este número aumentou ainda mais com dois novos blocos para contêineres reefer com um total de 576 tomadas. Já no primeiro trimestre de 2009, esta especialização aumentou ainda mais com a aquisição de outras 380 tomadas – totalizando 2.456 unidades que tornam o TCP o maior do país em número de tomadas. O investimento em 2009 foi de mais de R$ 6 milhões.

A ampliação do espaço físico e compra de novos equipamentos também fizeram parte dos investimentos. A área de armazenagem de contêineres foi ampliada em 92.000 metros quadrados totalizando 320.000 metros quadrados, sendo construída uma oficina para reparo de contêineres e um novo lavador para as unidades que são armazenadas no local. Quatro novos transtêineres também foram adquiridos para equipar esta área de expansão. “Como aumentamos a capacidade de armazenagem de contêineres, foi necessário ampliar proporcionalmente o número de transtêineres. Com eles, mantemos e até aumentamos nossa produtividade operacional, sem perder a agilidade necessária na movimentação”, disse Marcelo Dias, gerente comercial do TCP.

Com a aquisição dos novos equipamentos (RTG’s), o terminal dispõe de 14 transtêineres, e adquiriu mais 8 Terminal Tractors, com as respectivas carretas, no total de 24 caminhões.

Um novo sistema de cargas de importação também começou a operar, apressando despachos aduaneiros ao fazer controle de mercadorias 48 horas antes da atracação. A conferência de cargas importadas fica disponível no site do TCP simultaneamente com a operação do navio. O TCP tem também operação de um ramal ferroviário em parceria com a ALL-América Latina Logística.

COMMENTS