Caminhoneiros pedem à Dilma ajuda para pagar financiamentos

De acordo com estimativas dos sindicalistas, o óleo diesel representa entre 40% e 50% da planilha de custos do frete. Quanto ao financiamento, eles pediram à ministra que o governo interceda

Justiça obriga Petrobras a fornecer diesel menos poluente a partir de 2009
Carga aérea cresce em meio a perdas das empresas do setor
Certificação operacional atesta qualidade de sete aeroportos da Infraero

Representantes de sindicatos de caminhoneiros reuniram-se ontem com a chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministra Dilma Rousseff, para discutir dois dos principais problemas da categoria: o alto preço do óleo diesel e a dificuldade para pagar o financiamento dos veículos com a desaceleração da atividade econômica, provocada pelo acirramento da crise financeira internacional.

De acordo com estimativas dos sindicalistas, o óleo diesel representa entre 40% e 50% da planilha de custos do frete. Quanto ao financiamento, eles pediram à ministra que o governo interceda nos bancos privados para ampliar os prazos de pagamento.

No caso dos bancos públicos, já foi alongado o prazo para quem financiou a compra de caminhões. Segundo o presidente do Movimento União Brasil Caminhoneiro, Nélio Botelho, cerca de 80% dos financiamentos para compra de caminhões no período pré-crise foram feitos em bancos privados.

“Transmitimos à ministra que a crise econômica está atingindo em cheio os caminhoneiros e somos nós que transportamos a economia do país”, disse Nélio Botelho.

Os representantes dos caminhoneiros atribuem a dificuldade para pagar os financiamentos ao alto preço do combustível e à diminuição do número de fretes que têm feito. Eles estimam que a queda esteja em torno de 50%, tanto em quantidade quanto em valor, desde o início da crise.

COMMENTS