Stephanes quer que ajuda a frigoríficos envolva os produtores

Os parlamentares concordaram com a idéia de que o governo libere os créditos tributários devidos aos frigoríficos exportadores

Em 2010, GRU não poderá receber mais voos
Logística é novo filão de construtoras
Anac faz audiência pública sobre uso do Aeroporto Santos Dumont

Caso haja algum apoio aos frigoríficos que se encontram em dificuldades financeiras causadas principalmente pela queda nas exportações, o plano de ajuda tem que mirar os produtores. É a posição do ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, que participou ontem (24) da parte final da audiência pública da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados para analisar a crise no setor.

“Se qualquer forma de socorro surgir, e não estou dizendo que vai surgir, ela tem que priorizar as dívidas dos produtores”, afirmou o ministro.

Os deputados da comissão criticaram as ausências, na audiência, de representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) e dos grandes frigoríficos. Os parlamentares concordaram com a idéia de que o governo libere os créditos tributários devidos aos frigoríficos exportadores, desde que eles se comprometam a dar prioridade ao pagamento aos produtores.

O deputado Homero Pereira (PR-MT) disse que as ausências causam “indignação”, pois a audiência pública objetiva encontrar soluções para a crise que atinge o setor. “Precisávamos dos frigoríficos respondendo quais são os problemas, qual o valor do crédito tributário devido pelo governo, mas não temos”, reclamou.

“Protesto em referência a ausência da Abiec (Associação das Indústrias Exportadoras de Carne) e da Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos) na audiência. Para nós é uma indignação”, disse Pereira.

Já o deputado Ernandes Amorim (PTB-RO) fez duras críticas ao BNDES. Segundo ele, o banco tem se negado a compartilhar com o Congresso as informações sobre o repasse de recursos aos grandes frigoríficos. “O BNDES é um grande padrinho dos grandes frigoríficos”, afirmou o parlamentar, acrescentando que a instituição tem socorrido os grandes frigoríficos sem justificativas claras.

O deputado Cezar Silvestre (PPS-PR), que é integrante da Abrafrigo, mas não estava na audiência representando a associação, criticou os grandes frigoríficos e se opôs à possibilidade do governo editar um plano de socorro ao setor. No caso de alguma medida de apoio, ela pode sair até quinta-feira (26), quando ocorrerá a reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN).

Link para a matéria

COMMENTS