Dnit detalha licitação e mostra projeto da Rodovia do Parque (RS)

Obra da BR-448 terá 22,3 km de extensão e início na RS-118 será dividida em três segmentos

Da fila de espera ao caminhão parado em poucos meses
ANAC autoriza o retorno das operações da NHR Táxi-Aéreo após aumento de segurança
Aviação comercial cresce só 1 dígito

A construção da Rodovia do Parque, a BR-448, será dividida em três segmentos. O detalhamento da obra – alternativa para desafogar o trânsito na região metropolitana – foi apresentado ontem, em audiência pública na sede do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), em Porto Alegre. No encontro, também foi aberto oficialmente o processo de licitação para implantação e pavimentação da via.

As empresas contratadas serão responsáveis por trechos dos 22,34 quilômetros da rodovia, com início no entrocamento da RS-118 com a BR-116, em Sapucaia do Sul, e término no encontro com a BR-290 (free way), em Porto Alegre. A obra, orçada em mais de R$ 700 milhões, com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, será licitada em três lotes devido ao seu porte.

A audiência desta quarta-feira ocorreu um dia depois da entrega do licenciamento ambiental provisório pelo Piratini, na tarde de terça-feira. Empresários e representantes das comunidades pelas quais a rodovia passará acompanharam a explicação do projeto, executado pela Magna Engenharia e Ecoplan. “Esta é uma obra grande demais para ser realizada apenas por uma empresa’’, argumentou o superintendente regional do Dnit no Rio Grande do Sul, Vladimir Roberto Casa.

DETALHES

Conforme o superintendente, os representantes das empresas interessadas na obra tiveram a oportunidade de conhecer detalhadamente o projeto para que, posteriormente, se habilitem a participar do processo licitatório. “A partir desta audiência, o Dnit terá um prazo de 15 dias úteis para análise de dúvidas e sugestões sobre o processo para o departamento estar apto a lançar o edital da obra, que vai definir com precisão as regras da licitação’’, disse.

O edital deverá ser lançado no final de abril e as propostas serão recebidas por cerca de 30 dias, até o final de maio. A previsão é de que as obras comecem até setembro e que a rodovia esteja pronta até 2012.

Licitação levará de 60 a 90 dias

Segundo Vladimir Casa, a partir do recebimento das propostas, o Dnit levará de 60 a 90 dias para concluir o processo licitatório e a obtenção junto à Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) da licença de instalação para dar início à construção da rodovia. “A previsão é que no começo de setembro se inicie a obra, aguardada por cerca de seis anos’’, confirmou.

O superintendente acredita que a desapropriação das terras ao longo da rodovia não será entrave. “A estimativa é que em Canoas, perto da Vila Dique, haja em torno de 500 famílias que terão de ser reassentadas. A identificação de áreas para onde estas famílias deverão ser deslocadas está feita em conjunto com a prefeitura”.

Em relação as críticas feitas ao governo federal de desaceleração das obras do PAC devido à crise mundial, o  superintendente não acredita que a construção da Rodovia do Parque seja comprometida. “O Dnit está em plenas condições de realizar este processo para que as obras sejam iniciadas imediatamente.”

COMMENTS